Campo Grande - Mato Grosso do Sul, 22 de Setembro de 2019

Campo Grande

Vereadores pretendem unificar projetos para ampliar presença de intérpretes de Libras em órgãos públicos

Câmara Municipal de Campo Grande
Foto: Divulgação/Internet intérpretes de Libras

Quatro projetos de lei tramitam atualmente na Câmara Municipal de Campo Grande para ampliar a presença dos intérpretes de Libras (Língua Brasileira de Sinais) nos órgãos públicos do Município. O vereador Otavio Trad, presidente da Comissão Permanente de Legislação, Justiça e Redação Final, por onde tramitam essas proposições, ocupou a Tribuna da Casa de Leis na sessão ordinária desta quinta-feira (12) e propôs a unificação das propostas. Reunião será marcada para elaborar o Projeto, englobando todas as sugestões acerca do tema. 

“Não são projetos 100% semelhantes, mas que condiz na mesma esteira de aplicabilidade. Para dar celeridade e resolução, peço aos colegas para que, nós autores desses quatro projetos, façamos reunião para otimizar em um projeto único pela Casa”, afirmou o vereador Otavio Trad. Ele sugeriu ainda que, posteriormente, os vereadores reúnam-se com o prefeito Marquinhos Trad ver a possibilidade de aplicabilidade destas legislações. “Esse tema há muito tempo tem nos acompanhado, são muitas ideias, mas ainda temos pouca resolução”, afirmou.

No aparte da Palavra Livre, o vereador Delegado Wellington também enfatizou que “não há necessidade de ter várias leis” e falou da importância da integração. “O mais importante é que a Libras, nossa segunda língua, seja funcional e tenha a devida acessibilidade”, disse.  

Já o vereador Eduardo Romero considera o encaminhamento “justo e produtivo que todos os proponentes estejam alinhados e sintonizados para entregar política pública que funcione e não apenas expectativa projeto de lei”. Ele mencionou ainda o avanço da Câmara em incluir a intérprete de Libras no último concurso público. “É preciso incentivar outros espaços”, afirmou. O discurso de Trad na Tribuna teve o acompanhamento em Libras pela servidora Helga Silva Pereira Rosa. 

Tramitam atualmente na Câmara o Projeto 9.297/19, dos vereadores Carlão, Otávio Trad, Cazuza, Delegado Wellington, Dr. Cury, João César Mattogrosso, Ademir Santana, Betinho e Junior Longo, que altera a Redação do artigo 2º da Lei 5.686/2016, dispondo da obrigatoriedade do intérprete em todas as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e em todos os eventos públicos oficiais realizados no Município.

Ainda, o Projeto de Lei 9.447/19, do vereador Ayrton Araújo do PT, que dispõe sobre a obrigatoriedade de espaço reservado para pessoas surdas em todos os eventos públicos oficiais do Município; o Projeto de Lei 9.414/19 Vereador André Salineiro, sobre a obrigatoriedade da presença de intérprete de Libras em todos os órgãos públicos. 

Há ainda o Projeto de Lei Complementar 627/19, do vereador Otavio Trad, que altera o artigo 1º da Lei 5.206, de 19 de julho de 2013, dispondo que da obrigatoriedade da disponibilização do intérprete em todas as unidades de atendimento à saúde e à assistência social públicos e nos eventos públicos oficiais. 

Já estão em vigor legislações sobre o tema. A Lei 5.206/13, dos vereadores Cazuza e Carlão, que trata da inserção do interprete de Libras em eventos oficiais do Executivo, a qual teve alteração proposta pelo vereador Carlão, para obrigar a presença dos intérpretes nas UPAs.  

Milena Crestani 

Assessoria de Imprensa da Câmara Municipal 

Deixe seu Comentário