‘A verdade vos libertará’

Sharing is caring!

Essas palavras que, segundo o evangelho, Jesus disse aos seus adversários é o título da mensagem do papa Francisco para o 52º Dia Mundial das Comunicações que a Igreja Católica celebra nesse domingo. O tema ao qual o papa dedica a mensagem desse ano e nos convida a aprofundarmos é o que atualmente se chama de fake news (notícias falsas) e como podemos, ao contrário, fortalecer um jornalismo que construa a paz e sirva à verdade.

No mundo atual, as notícias são quase instantâneas aos acontecimentos e têm uma repercussão global. Assim, fica cada vez mais difícil discernir as notícias verdadeiras e as informações que, como diz o papa, parecem verossímeis e vêm ao encontro de impressões e mesmo convicções comuns da sociedade, mas não se sustentam ou se comprovam como fatos reais. Em sua mensagem, o papa Francisco escreve: “De fato, está em jogo a nossa avidez. As fake-news  tornam-se frequentemente virais. Propagam-se com grande rapidez e de forma pouco controlável”.

Nas redes sociais, propagamos isso com muita facilidade, sem fazer discernimento. Não poucas vezes compartilhamos conteúdos falsos e sem fundamentação. Assim fazendo, prejudicamos pessoas, destruímos vidas, sem nos darmos conta da gravidade de nossas ações. Na maioria das vezes, as fake news têm por trás interesses sociais e políticos. O papa denuncia: “As próprias motivações econômicas e oportunistas da desinformação têm a sua raiz na sede de poder, ter e gozar”. Por isso, é tão fundamental sermos educados para a verdade. E o papa esclarece: “Educar para a verdade significa ensinar a discernir, a avaliar e ponderar os desejos e interesses que estão por trás das notícias que recebemos”.

Infelizmente, em muitos casos, as fake-news são inteligentemente programadas e criadas por uma estrutura poderosa de comunicação a qual os/as jornalistas, mesmo honestos e amantes da verdade, são pressionados a seguir se querem manter seus empregos. Nas últimas décadas, em todo o mundo, várias das grandes empresas de comunicação de massa se tornaram redes que concentram o poder da comunicação. São propriedade de poucas famílias muito ricas e que não escondem seus interesses econômicos, sociais e políticos.

Para quem tem fé cristã, é bom recordar que Evangelho significa boa notícia, isso é comunicação verdadeira e transformadora da realidade. Por isso, faz parte do anúncio da fé o compromisso com uma informação de qualidade ética e que nos faça pensar corretamente e nos ajude a agir de forma solidária. Mais do que nunca, é verdade o que Jesus afirmou: “A verdade vos libertará” (Jo 8, 33).

 

Dom Antônio Fernando Saburido
Arcebispo de Olinda e Recife

Fonte: Diário de Pernambuco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *