Campo Grande - Mato Grosso do Sul, 22 de Agosto de 2019

Especial Nippon

União Europeia e Japão assinam acordo de livre-comércio

FIEMS
Foto: Divulgação / Internet

A União Europeia e o Japão firmaram, nesta terça-feira (17), em Tóquio, um ambicioso acordo de livre-comércio que constitui "uma potente mensagem contra o protecionismo" do presidente americano, Donald Trump e cria um dos maiores blocos comerciais do mundo. "Hoje é um dia histórico, porque celebramos a assinatura de um acordo comercial extremamente ambicioso entre duas das principais economias do mundo", diz o comunicado divulgado após a assinatura. É "uma mensagem clara contra o protecionismo" de Trump, afirmou o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk.

O Acordo de Associação Econômica é um pacto que vai liberar a maior parte de seus intercâmbios comerciais e com o qual as duas partes esperam impulsionar suas economias. O acordo foi assinado pelo primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, e pelos presidentes da Comissão Europeia e do Conselho Europeu, Jean-Claude Juncker e Donald Tusk, respectivamente.

As duas potências encerraram um longo processo de negociações iniciadas em 2013, embora para a entrada em vigor do pacto ainda sejam necessários trâmites parlamentares em nível nacional, um processo que poderia ser prorrogado até o próximo ano. Trata-se de um "ambicioso pacto comercial entre duas das maiores economias do mundo" que constitui "um passo histórico", destacaram os três líderes, em uma declaração conjunta após assinatura do documento.

Com o acordo, o Japão e a UE "enviam uma mensagem poderosa para promover o livre-comércio e baseado em regras, e contra o protecionismo", disseram, acreditando que o pacto ajudará no "crescimento econômico inclusivo" e "criação de emprego".

40% do comércio global

Uma vez entre em vigor, o Acordo de Associação Econômica criará a zona econômica mais aberta do mundo, já que o país asiático e o bloco comunitário aglutinam 40% do comércio global e 30% do Produto Mundial Bruto. O acordo foi selado em um momento marcado pelas tensões comerciais entre Tóquio e União Europeia com os Estados Unidos, por causa das medidas protecionistas aplicadas pelo presidente americano Donald Trump.

O tratado vai liberar 91% das importações da UE para o Japão e até 99% quando for aplicada em sua totalidade, uma atividade econômica que atualmente representa cerca de 86 bilhões de euros e gera 600 mil empregos, segundo dados da Comissão Europeia. O Japão é o segundo maior parceiro comercial dos Vinte e Oito na Ásia depois da China, enquanto o bloco comunitário é o terceiro parceiro global do país asiático por volume comercial após os Estados Unidos e Pequim.

Além disso, a UE e Japão assinaram nesta terça-feira um Acordo de Associação Estratégica, onde as duas partes esperam aprofundar sua cooperação em questões como a defesa dos direitos humanos, temas culturais e luta contra a mudança climática.

Deixe seu Comentário