Turismo: Paraty tem Cultura, Turismo e Ecologia – confira

Sharing is caring!

A equipe do Tereré News saiu de São Paulo capital neste domingo (14) por volta das 8h rumo a Paraty/RJ. Um trajeto de 267 km com belas paisagens e a sinuosa e perigosa travessia pela estrada parque Cunha-Paraty na Serra do Mar.

Pousada Marendaz em Paraty/RJ cordialidade com ótima escolha na cidade.

Saiba mais:

Paraty é um município do estado do Rio de Janeiro, no Brasil. Localizado no litoral sul do estado, dista 258 quilômetros da capital estadual, a cidade do Rio de Janeiro. (Wikipédia)

Junto ao oceano, entre dois rios, Paraty está a uma altitude média de apenas cinco metros. Hoje, é o centro de um município com 930,7 quilômetros quadrados com uma população de 39 965 habitantes (densidade demográfica: 35,6 habitantes por quilômetro quadrado). Segundo estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística para 2014, possui 39 965 habitantes, ocupando a 43ª posição entre os municípios do estado do Rio por população. O seu Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) é de 0,693, segundo dados de 2010 do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (publicados em 2013[11]), o que é considerado como “mediano”.

Por estar localizada quase ao nível do mar, a cidade foi projetada levando em conta o fluxo das marés. Como resultado, muitas de suas ruas são periodicamente inundadas pela maré.

A cidade foi, durante o período colonial brasileiro (1530-1815), sede do mais importante porto exportador de ouro do Brasil.

Em 1667, teve sua emancipação política decretada após várias revoltas populares contra o centralismo que Angra dos Reis exercia sobre a cidade, em especial após a revolta liderada por Domingos Gonçalves de Abreu, tornando-se, assim, independente.

Lugares de interesse
Chafariz do Pedreira – à entrada da cidade, em mármore, foi iniciado em 1851 e inaugurado em 1853 pelo conselheiro Luís Pedreira do Couto Ferraz, então presidente da província do Rio de Janeiro, que, na ocasião, bebeu, em copo de ouro, as suas primeiras águas.
Sobrado dos Bonecos e Passos da Paixão – localizado à Rua Tenente Francisco Antônio, nele se destaca o beiral em telhas de louça. O nome dos Bonecos veio das estátuas que encimavam a sua platibanda. No prédio vizinho, existe uma capela dos Passos da Paixão, aberta apenas para as procissões da Semana Santa.
Antiga Cadeia Pública – atualmente, sedia a Secretaria de Cultura, Turismo e Esportes do município e o Instituto Histórico e Artístico de Parati.
Igreja de Santa Rita de Cássia
Rua do Fogo – é uma das poucas ruas da cidade que conserva o seu primitivo nome. Comunica um dos vértices do Largo de Santa Rita à Rua Maria Jácome de Melo.
Rua Dona Geralda – Geralda Maria da Silva nasceu em Parati em 1807. Benemérita, herdou de seu pai grande fortuna, que a lenda local associa à descoberta de um tesouro de piratas.
Mercado do Peixe – localiza-se à beira-mar, comercializando verduras e frutas.
Rua da Praia – comunica o Mercado do Peixe à beira do rio Perequê-açu. Em determinadas luas, é inundada pelas águas da maré alta, que refletem o seu casario, espetáculo que atrai a atenção dos turistas.
Rua Fresca – outrora denominada Rua das Dores (por abrigar a Igreja de Nossa Senhora das Dores), Rua Alegre e Rua do Mar, nela, se destaca o Sobrado dos Orleans e Bragança, próximo à Igreja de Nossa Senhora das Dores.
Igreja de Nossa Senhora das Dores
Praça do Imperador
Igreja Matriz de Nossa Senhora dos Remédios
Sobrados coloniais
Santa Casa de Misericórdia de Parati
Forte Defensor Perpétuo e Casa da Pólvora – o forte abriga o Centro de Artes e Tradições Populares de Parati.
Capela da Generosa – localiza-se no Beco do Propósito, à margem do Rio Perequê-açu, onde morreu afogado Teodoro, um ex-escravo liberto, que ali se atreveu a pescar em uma sexta-feira santa. Em memória do fato, uma senhora de nome Maria Generosa, aí, fez erguer a capela, sob a invocação da Santa Cruz, que recebeu o nome da benfeitora.
Igreja de Nossa Senhora do Rosário e prefeitura
Oratório de Santa Cruz das Almas – também conhecido como Oratório de Santa Cruz dos Enforcados, localiza-se no antigo caminho para o pelourinho.
Engenho da Muricana
Engenho da Boa Vista – onde residiram os avós de Heinrich e Thomas Mann. O antigo engenho a vapor adquiriu fama por suas aguardentes, como a Azulina, produzida em alambique de barro e destilada com folhas de tangerina.
Engenho do Bom Retiro – em 1908, a sua aguardente recebeu medalha de ouro na Exposição Nacional Comemorativa do 1º Centenário da Abertura dos Portos do Brasil.
Aldeias guaranis de Araponga e Paratimirim – se localizam nos arredores da cidade. Para sua visitação, é necessária uma autorização no posto da Fundação Nacional do Índio que se localiza nessas aldeias.

Tereré News

Editor - Tereré News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *