Campo Grande - Mato Grosso do Sul, 23 de Setembro de 2019

Esportes

Tony Hawk's Pro Skater comemora legado de 20 anos

Agência Brasil
Foto: Divulgação / Assessoria colunajpg.jpg

Quem é Tony Hawk? Para muitas crianças e adolescentes no fim dos anos 1990, ele era simplesmente o nome em um game que fazia muito sucesso no primeiro PlayStation. Tony Hawk´s Pro Skater foi lançado há 20 anos, mais especificamente no dia 31 de agosto de 1999. O simulador de skateboarding está longe de ser o primeiro game do gênero, mas causou um impacto sentido até hoje no mundo dos jogos eletrônicos e também fora dele.
O jogo foi desenvolvido pela Neversoft, um estúdio novato com até então apenas dois games no currículo. A publicadora Activision queria capitalizar em cima da febre do skate, que vinha crescendo em popularidade por conta do sucesso do X Games, competição de esportes radicais surgida em 1995. Foi nesse torneio que Tony Hawk, já beirando os 30 anos, começou a fazer nome fora do nicho do skateboarding.
Chamado para uma reunião no escritório da Activision, Tony Hawk, desde criança um fã de jogos eletrônicos, foi convencido do potencial do jogo assim que experimentou. Ele se tornaria então a estrela principal do game, que também contava com a participação de outros nove skatistas, incluindo o brasileiro Bob Burnquist.
Tony Hawk's Pro Skater impressionou a crítica e o público ao apresentar uma jogabilidade inovadora, permitindo você se aventurar em cenários 3D de grandes dimensões, ao menos para a época, em total liberdade. A trilha sonora recheada de canções de rock e hip-hop marcou tanto que é lembrada ainda nos dias de hoje.
O jogo para PlayStation se tornou um sucesso de vendas naquele ano de 1999, e assim não demoraram a surgir versões para outros videogames (Nintendo 64, Game Boy Color, Dreamcast e até o esquecido celular N-Gage), sem falar nas sequências. Até hoje, foram 16 jogos pela Activision, o último deles lançado em 2015. Tony Hawk's Pro Skater acabou se tornando uma das franquias mais lucrativas dos games, ultrapassando US$ 1,4 bilhão, cerca de R$5,75 bilhão. 
A relevância do título ultrapassou fronteiras, atraindo a atenção de outros skatistas, ávidos por aparecer no jogo; popularizou o esporte, influenciou outros games, e transformou Tony Hawk em uma celebridade e uma marca reconhecível até por quem não acompanha o mundo do skate.
A simbiose lucrativa entre esportes e videogames também pode ser confirmada em outros casos, como na popularização do futebol nos Estados Unidos, ou ainda no aumento no número de torcedores de times europeus no Brasil, casos creditados em parte ao êxito dos games Fifa e Pro Evolution Soccer nos dois países. 
Desde o fim do contrato de licenciamento com Activision, em 2015, Tony Hawk só apareceu em um game para celular, Skate Jam, lançado no ano passado pela Maple Media, empresa especializada no mercado de aplicativos. Os fãs da antiga série por enquanto podem ficar de olho no documentário Pretending I'm a Superman, com lançamento previsto para ainda esse ano, e que promete contar toda a história por trás do desenvolvimento da franquia nessas duas décadas. 
Edição: Verônica Dalcanal
 

Deixe seu Comentário