Campo Grande/MS, 15 de Dezembro de 2018

Blog

Thiago Andrade

Thiago Andrade

Conheça o Legaler: ferramenta que pode mudar a forma como a advocacia

2018-04-09_09-23-22 2018-04-09_09-23-22
2018-04-09_09-23-22
O avanço da tecnologia tem afetado diversas alterações sobre diversos ofícios e procedimentos. No campo do Direito não poderia ser diferente. Nos sistemas do Poder Judiciário, a digitalização de processos e o peticionamento eletrônico tornaram a vida do advogado muito mais prática - e sedentária - permitindo o protocolo de uma petição no seu próprio escritório. A transição do papel para o digital é um fenômeno global e não se limita ao Judiciário brasileiro. Mas, no que tange a maneira das firmas de advocacia exercerem o seu ofício ainda parece haver alguma resistência de incluir o uso de inovações tecnológicas no dia a dia de seus associados e parceiros. O forte tradicionalismo obriga muitos jovens advogados a procurarem um grande escritório de advocacia para começar sua carreira jurídica. Associado ao grande volume de bacharéis em direito e jovens advogados, isso resulta em um excesso de 'mão-de-obra' para esses escritórios, resultando em cargas horárias e salários extremamente baixos, a despeito dos artigos 19 e 20 do estatuto da OAB. Consequentemente, há um grande volume de desistência de advogados que passaram a acreditar que essa realidade é a única realidade possível e que ser continuamente explorado e, por vezes, humilhado, não era exatamente o sonho que tinham durante a graduação, de ser instrumento de justiça. Isso se agrava quando um profissional nessa situação percebe que todos os seus colegas estão passando pela exata mesma situação, dando a impressão que está em um beco sem saída. E talvez realmente fosse, caso estivéssemos na década de 90 ou 80. Mas vejam o impacto da tecnologia em todas as áreas de consumo e produção. A percepção de como tantas empresas e ideais tradicionais se tornaram obsoletas em tão pouco tempo. Lojas online, Netflix, contas bancárias com custo zero através da internet, pequenas coisas (talvez não tão pequena assim para empresas como a Blockbuster Inc.) que causaram uma mudança radical no estilo de vida de todas as pessoas. Avanços na medicina e na engenharia são patentes. Por que com a advocacia seria diferente? A tecnologia não mudou apenas as ferramentas e objetos de consumo. Ela mudou as próprias pessoas, que, para a advocacia, são a chave de toda a profissão. Clientes vêm ao advogado munido de algum conhecimento jurídico fornecido pela internet, requerindo um serviço muito mais embasado no tripé da eficiência: "better, faster, cheaper". Não basta a imponência da sua mesa de madeira nobre em um grande escritório no final do corredor. A tendência, globalmente falando, está em o cliente buscar e receber exatamente aquilo que precisa da maneira mais eficiente, e no Brasil não é diferente, apesar da resistência dos grandes escritórios. Afinal, para que eles desejariam mudar, se já se beneficiam tanto dessa milionária indústria jurídica? Cobrar valores acima do esperado, repassar abaixo para os associados explorados, propor valores risíveis para correspondentes jurídicos (já tive notícia de um escritório oferecer R$ 4,00 para fazer um 'pacote' de 3 a 21 protocolos). O que se chama por indústria jurídica é muito mais profundo e abrangente do que a relação advogado-cliente. Bem, a ideia deste texto é apresentar a esses profissionais que vêm sendo explorados, ou que desistiram mas sempre desejaram advogar, ou ainda um escritório que deseja se proteger das rápidas evoluções causadas pelo avanço tecnológico, um caminho que não é muito conhecido no Brasil, mas já está se popularizando em diversos países de primeiro mundo. Trata-se do Legaler, uma plataforma virtual que reúne todas as ferramentas necessárias para o contato cliente-advogado e gerenciamento de tarefas e metas entre advogados. Fazer conferências, organizar agenda, salvar anotações, compartilhar documentos, tudo sem precisar instalar nenhum aplicativo ou seguir instruções complicadas. Basta o advogado fazer seu cadastro, combinar um horário com o cliente e mandar um link. Com esse link o cliente terá acesso à sala onde poderá não somente conversar com o seu advogado mas compartilhar documentos, tudo dentro de um sistema de segurança de criptografia pontaaponta. E, caso o cliente e o advogado possuam uma conta no google ou outlook, o encontro é automaticamente marcado no seu google agenda ou similar do outlook. Além disso, é possível gravar e armazenar tudo para posterior utilização, além de, durante o encontro, compartilhar sua tela com os participantes, sendo possível, por exemplo, falar sobre um texto no Word e editá-lo ao mesmo tempo, como se todos estivessem em um mesmo lugar físico. Isso é especialmente útil, pois elimina completamente a utilidade de se manter um escritório físico onde teoricamente é possível conversar, de maneira rápida e prática, com qualquer colega da firma. Na prática, porém, é sabido que o último lugar em que um sócio majoritário pode ser encontrado é em seu escritório ao final do corredor. Não é necessário mencionar o óbvio, os custos envolvidos e como isso é, de alguma maneira, repassado ao cliente. Eliminar esses custos é um passo que aproxima não somente ao ideal de eficiência, mas um avanço na inclusão de grande parcela dos cidadãos ao acesso à Justiça. Afinal, não é segredo algum, um advogado custa caro. Abrir mão da mesa feita com madeira Jacarandá da Bahia para falar exatamente o que o cliente deseja saber, de forma prática e sem devaneios jurídicos é um avanço do serviço advocatício brasileiro. Fazer isso sem exigir que o cliente saia de sua casa é um avanço tecnológico. Dividir os benefícios financeiros disso decorrentes, é um avanço ético. Caminhamos no sentido de abandonar as vazias aparências que o status quo da classe mantinha, para uma efetiva prestação de serviço, inteligente, prática e direta. O Legaler, portanto, se consubstancia em mais do que uma ferramenta. Ele é a possibilidade de se montar um escritório virtual, com sócios atuantes e diversas áreas em vários estados, porém com a praticidade de sempre poderem conversar. É um caminho inovador no Brasil, mas muito promissor. Em contato com Aaron Pinch, um dos responsáveis pela gestão de clientes da Legaler, ele me disse que é natural uma resistência inicial em países que ainda não estão familiarizados com a evolução dos serviços através do uso das mais recentes tecnologias, mas que pela experiência dele isso tende a mudar rapidamente. É importante mencionar que o Legaler é uma plataforma oferecida gratuitamente e sem propagandas ou aqueles indesejáveis pop-ups. Segundo os desenvolvedores ele continuará grátis. Há um plano pago para quem tem necessidades mais específicas, como grandes armazenamentos em nuvem, mas todos os recursos principais estão disponíveis na versão gratuita. Dentro desse panorama virtual, estamos abrindo possibilidades para se incluir em um quadro internacional de advocacia, ganhando os conhecimentos mais atuais de como a advocacia se desenvolve internacionalmente. Um dos pontos abordados pelos encontros ocasionais que o Legaler promove, em seu blog, foi a necessidade gritante dos advogados autônomos e firmas de advocacia adquirirem conhecimentos de gerenciamento e administração de pessoal, pois um dos problemas apontados na advocacia tradicional é carência de otimização de tarefas e metas, causando grandes atrasos e consequente redução na entrega de resultados eficientes. Portanto, é claro que é necessário uma boa dose de coragem e luta para desbravar qualquer caminho inovador, mas caso você, jovem advogado, esteja passando por dificuldades, frustrações ou pensando em partir dessa para melhor (me refiro a profissão rs), saiba que existe este outro caminho, com custo extremamente baixo e grandes oportunidades de negócio, sendo suficiente – porém inequivocadamente necessário - o seu próprio esforço e força de vontade. Caso possua interesse, quero dizer que estou à disposição para sanar qualquer dúvida sobre a plataforma (apesar de fazê-lo sem vínculo à empresa, apenas porque acredito na causa) e trocar experiências e informações. Saiba que, por maior que seja suas dificuldades haverá sempre alguém a disposição para lhe oferecer uma palavra de força.

Autor: Thiago Andrade

Fonte da imagem: https://www.legaler.com/

Deixe seu Comentário