Campo Grande - Mato Grosso do Sul, 20 de Julho de 2019

Blog

Ampla Visão

Coluna Ampla Visão

Eleições de 2018 refletirão em 2020?

Divulgação Ampla Visão, coluna do Manoel Afonso

ELEIÇÕES 2020   Elas estão vinculadas basicamente as questões locais; a qualidade dos serviços na saúde, educação, transporte, saneamento e moradia. Mas o eventual mau humor pelo cenário nacional ( desemprego/ crise) e  o fim das coligações para vereança –  exigirão boa estratégia dos candidatos e partidos. Aqui no Estado, não será diferente nos maiores colégios eleitorais.

DETALHE   O resultado do 1º turno do pleito de 2018 pode esboçar o cenário da disputa municipal. Em algumas cidades, candidatos, eleitos ou não, avaliam as chances de concorrer ao cargo de prefeito. Lembro: na capital  Sergio Harfouche (PSC) liderou com 163.314 votos (20,17%) para o Senado; Soraya Thronick (PSL) 151.697 votos (19,35%), Marcelo Miglioli (PSDB) 96.483 votos (11,92%).

DESTAQUE   também na capital para a Câmara Federal onde Rose Modesto (PSDB) com 49.435 votos ( 11,99) só perdeu para Fábio Trad (PSD) com 57.020 votos ( 13,83%). Para a Assembleia Legislativa saíram fortalecidos eleitoralmente Capitão Contar (PSL) – o campeão - com 39.896 votos (8,92%) e coronel Davi com (PSL), 24.218 votos (5,42%).  

ENFRAQUECIDOS  Favorito a uma das vagas ao Senado Zeca do PT ficou em 4º lugar na corrida ao Senado na capital - obtendo apenas 76.465 votos, abaixo de Miglioli  (PSDB) com 96.483 votos (11,91%). Para a Câmara o deputado Vander Loubet (PT) chegou aos 8.680 votos (2,07%),e o deputado Dagoberto Nogueira (PDT) só 8.423 votos (2,04%). As votações derrubam o cacife deles como pretensos candidatos em 2020.

DOURADOS  Desempenho no pleito de 2018. Para deputado estadual: Marçal Filho (PSDB) 19.021 votos (18,30%); Renato Câmara (MDB) 9.375 votos (9,02%); Elias Ishy (PT) 7.805 votos (7,51%); José Carlos Barbosa (PSDB) 7.455 votos (7,17%). Para Câmara Federal: Geraldo Resende (PSDB) 12.037 votos (11,45%), vereador Alan Guedes (DEM) 8.742 votos (8,31%); George Takimoto (MDB) 8.587 (8,17%); vereador Cido Medeiros (DEM) 7.165 votos (6,81%). Em tese podem influenciar no resultado das eleições.  

REGRAS   O sistema proporcional continuará, mas sem coligações. Elas só serão permitidas para o cargo de prefeito. Para a vereança vão se eleger os postulantes mais votados dentro de seus partidos, desde que a sigla atinja o quociente eleitoral. Mas o candidato terá que ter 10% dos votos do quociente exigido. Exemplo: se tiver 10 vagas na Câmara e 100 mil votos válidos, o quociente será de 10 mil votos válidos. Aí só serão eleitos os candidatos com no mínimo 1 mil votos, equivalente aos 10% do quociente.

OBSERVAÇÕES Com o fim das coligações os partidos deverão apresentar chapas completas com o maior número possível de postulantes a vereança, ou seja; o número de vagas em disputa mais 50%. Será o fim das  siglas de aluguel e o voto representará mais fielmente a vontade do eleitor. Até aqui com a coligação proporcional votava-se num candidato a vereador e acabava elegendo outro - às vezes sem qualquer identidade com o eleitor.

A POLÊMICA  A Lei da Ficha Limpa oferece proteções à sociedade, mas retira a soberania do eleitor, motivando discussões. A questão das contas rejeitadas  liderará as polêmicas já que é vista como ato doloso de improbidade vetando candidaturas. Mas se a decisão do Tribunal de Contas for suspensa ou anulada pela justiça estará permitida. Em 2016, o STF decidiu: o candidato será inelegível se as suas contas forem reprovadas pela Câmara Municipal. O ministro Gilmar Mendes, é o defensor da tese.  Não é por acaso que os prefeitos tratam bem as Câmaras, de olho no futuro.

NO ARREMATE  sobre o tema vale  recordar: na política não há reserva de mercado de uma eleição para outra.  O candidato ‘arrebenta’ num pleito como candidato a deputado e na seguinte passa vexame como candidato ao senado ou a prefeito. Nas eleições municipais a razão perde para a emoção. O cenário do embate é menor e os personagens envolvidos  são pessoas próximas e que ganham maior visibilidade. Eu diria: uma guerra!

‘CLASSUDO’  O deputado federal Loester Carlos (Tio Trutis) PSL  acaba de se envolver numa enrascada  com o vereador Delegado Wellington (PSDB) da capital. No lugar de se ater às questões nacionais que afligem o país, manifestou-se de forma grotesca nas redes sociais contra o vereador pela concessão de moção de congratulações  a um aluno e atleta.  O que estarão pensando os 56.339 cidadãos que votaram no deputado? Como dizem os franceses nestas situações: “noblesse oblige”.

RÁPIDAS..... DEPUTADO Marçal Filho (PSD) teve aprovado seu projeto instituindo a disciplina de Educação Financeira nas escolas de ensino médio.....PARA o deputado Dagoberto Nogueira (PDT) o ex-juiz Odilon de Oliveira já  acertou com o prefeito Marcos Trad (PSD).....DEPUTADO   Jamilson Name (PDT) pediu reforma do pontilhão na Orla Ferroviária da capital.....ÓRFÃOS do ex-governador Puccinelli (MDB) tentam minimizar ou exorcizar o fantasma de novas operações policiais......O SENADOR Nelsinho Trad (PSD) inovando com escritório em Naviraí prestigiando o 1º suplente José Chagas..... DÚVIDA: Parlamentares  que não enviam notícia de Brasília - não tem assessoria de imprensa ou não fazem bulufas..... INCERTO o futuro do PPS nas eleições municipais de 2020.....MUITO ou pouco? O prejuízo entre a compra e a venda da Refinaria de Passadena  foi de 800 milhões de dólares. Isso o PT não conta.....DEPUTADO Lucas de Lima (SD) entusiasmado com a recepção que vem tendo com sua Ação de Cidadania nos bairros da capital. A vez agora é da ‘Moreninhas’.

RICARDO AYACHE  Notícia recente – sem respaldo na lógica política diz que ele poderia retornar ao PSB. Os analistas numa só voz perguntam:  para fazer o que mesmo? Ora! Revigorado com o excelente trabalho que vem realizando à frente da Cassems, Ayache tem uma rodovia larga e bem sinalizada pela frente. Não vejo razões para precipitar. Tudo ao seu tempo.

EM ALTA 12 anos presidente da Comissão de Agricultura da Assembleia Legislativa, o deputado Marcio Fernandes (MDB) comanda também a Secretaria da UNALE ( União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais). Com isso teve o cacife político para intervir junto à ministra Tereza Cristina – da Agricultura  para assegurar verba de R$500 milhões para modernização da frota agrícola; mais de R$ 1 bilhão em financiamento do Banco do Brasil e R$ 1 bilhão para o seguro rural do Plano Safra 2019/2020 conforme anúncio feito pela ministra no último dia 29 em Ribeirão Preto.

 NA MÍDIA Deputada Rose Modesto (PSDB) foi notícia no site Diário do Poder  defendendo a doação das milhas aéreas dos parlamentares aos carentes, como os atletas pobres que vão competir e os doentes em busca de tratamento. Rose diz que as milhas pertencem ao povo – que paga a conta – não a quem faz a viagem.  Aliás, só em 2018 os parlamentares torraram  R$53 milhões viajando de avião. Como se diz: ‘viajar é preciso’.

EQUILÍBRIO  Quem se empolga queima etapas vai pra casa mais cedo. Não parece ser o caso do deputado Evander Vendramini (PP) que trata a questão sucessória de Corumbá comedidamente. Priorizando o mandato   deixa claro suas  boas relações pessoais e políticas com o atual prefeito e seu compromisso de campanha com a cidade e região. Quanto a questão do diretório do partido, pontuou: “O bom senso recomenda que a situação continue como está”.

CASAMENTO?  A convenção nacional do DEM será neste dia 30 e do PSDB no dia seguinte. O tema fusão entraria nas duas pautas. Explico:  sem coligação partidária, a dupla DEM-PSDB dobraria o poder de fogo no pleito de 2020; 5 governadores, 14 senadores, 57 deputados, superando o PSL com 54 deputados e o PT com 55.  Caso o PSD entre neste barco, seriam 93 deputados e 23 senadores, a maior força das duas Casas.

TRECHO  da fala do deputado Fabio Trad (PSD) na CCJ da Reforma Previdência Social; “Essa oposição que vota contra a reforma não diz ao Brasil porque os governadores anteriores mexeram na previdência. Se o voo estivesse tranquilo, porque FHC mexeu, porque Lula mexeu, porque Dilma mexeu, porque Temer mexeu? Portanto, o Governo Bolsonaro que assumiu há pouco, há 4 meses herdou esses números devastadores. Então é uma questão de responsabilidade cívica e de coragem de homens públicos. Não a covardia! À favor do Brasil!”

BOA ESCOLHA  Repercutindo bem nas lideranças da classe ruralista a nomeação do nosso Ademar Silva Jr para o comando da Agencia Nacional de Assistencia técnica Extensão Rural  (Anater). Ex- ex-presidente da Famasul, médico veterinário que tem visão moderna do setor, tendo atuado junto com a ministra Tereza Cristina lá na Seprotur. Mais um de nosso Estado lá em Brasília.

PARA REFLETIR: “Vivemos o melhor tempo da nossa história, mas não estamos felizes. Estamos hipnotizados, achando que precisamos ter tudo, ser bom em tudo e, com isso, a única certeza é a de que seremos infelizes. A felicidade está dentro. A gente complica a vida à toa e o bem mais valioso é o tempo. Em uma era de tantas oportunidades e estímulos, a sabedoria se faz necessária.

 A vida pode não ser fácil, mas ela é simples”. (Diego Burges A. Santos, da Universidade Budista de Naropa, Colorado)

Deixe seu Comentário