Campo Grande/MS, 20 de Agosto de 2018

Tempo

Tempestade “Grayson” produz cenas épicas nos Estados Unidos - fotos

Redação TerereNews
Foto: Tempestade Grayson-tererenews Tempestade Grayson-tererenews
Tempestade Grayson-tererenews

A tempestade de inverno “Grayson” provocou muitos estragos nas últimas 48 horas sobre regiões do nordeste dos Estados Unidos, principalmente, com cenas épicas.

Com ventos de furacão, acima de 130 km/h, a tormenta invernal provocou forte ressaca, com ondas que ultrapassaram seis metros de altura na costa dos estados de Connecticut, Maine, Massachusetts, Nova Hampshire e Rhode Island, farta precipitação de neve, além de frio extremo, superior a -30°C.

Em Boston, capital de Massachusetts, a mistura de água, gelo e neve tornou impossível trafegar pelas principais vias da cidade, onde todos os meios de transporte foram paralisados.

Bairros próximos da orla vivenciaram cenas de filmes de Hollywood, com camadas de gelo perfurando vidros de casas e pneus de veículos que foram perfurados pela água congelante.

Mais de 50 pessoas foram resgatadas pelas equipes de resgate dentro de veículos em estágio de hipotermia, algumas já estavam quase congeladas e devido ao gelo no lado de fora, muitas não conseguiram nem abrir portas e vidros, o que gerou momentos de desespero.

Em Miami, na Flórida, o frio surreal para a região matou muitos animais e aves, onde até mesmo as iguanas, que são muito comuns ao transitarem sobre as árvores da cidade, caíram congeladas ao chão. Autoridades ambientais informaram que isso nunca aconteceu na área.

Em Marshfield, em Massachusetts, água e gelo empurrados pelos ventos de “Grayson” invadiram a cidade, que ficou completamente alagada e congelada. Grande blocos de gelo entupiram bueiros e o volume de água do Atlântico provocou grandes alagamentos. Ao menos três pessoas morreram congeladas.

Em Salem, na costa de Massachusetts, as águas do Oceano Atlântico congelaram e avançaram com grandes e pesados blocos de gelo para dentro da cidade com as fortes rajadas de vento.

Todas as construções próximas, bem como veículos congelaram de modo instantâneo. A temperatura na região chegou a -28°C e os ventos passaram de 90 km/h.

Em Chicago, em Illinois, o Lago Michigan, que havia congelado parcialmente nos últimos dias com a primeira invasão de ar polar, nesta sexta-feira (05) estava completamente congelado em superfície, onde todos os meios de transporte foram suspensos.

Em Ocean City, em Maryland, a neve superou 60 centímetros de espessura em menos de 12 horas, o que deixou boa parte da cidade costeira completamente isolada do continente.

Em vários trechos do litoral norte-americano, centenas de animais morreram congelados por conta do frio histórico, inclusive tubarões, que apareceram mortos na orla.

O balanço divulgado na tarde desta sexta-feira pelo governo norte-americano mostrou que 36 pessoas morreram em decorrência do frio extremo das últimas 72 horas, 11 apenas no estado de Nova York.

Entidades não-governamentais contestaram e informaram que mais de 50 pessoas morreram congeladas, principalmente moradores de rua e que não foram alocados em abrigos previamente preparados pelas autoridades para suportarem temperaturas de até -30°C. O número de mortos em decorrência de acidentes de trânsito provocados por pistas congeladas não foi contabilizado.

O frio intenso, a chuva, a neve e os ventos fortes de “Grayson” fecharam mais de 50 aeroportos afetando quase dois milhões de pessoas, bem como portos e rodovias. Também houve interrupção no fornecimento de energia elétrica para mais de 800 mil habitantes e em muitas cidades, canos de água estouraram com a pressão do gelo.

internacional 01 01 18 1

internacional 01 01 18 1

internacional 01 01 18 1

internacional 01 01 18 1

internacional 01 01 18 1

internacional 01 01 18 1

internacional 01 01 18 1

internacional 01 01 18 1

internacional 01 01 18 1

internacional 01 01 18 1

internacional 01 01 18 1

internacional 01 01 18 1

internacional 01 01 18 1

internacional 01 01 18 1

internacional 01 01 18 1

Dados meteorológicos registrados

Oficialmente, segundo o National Weather Service (NWS), a maior rajada máxima de vento sobre o continente e solo norte-americano chegou a 111,1 km/h em Marshfield, Massachusetts.

Em terras do Canadá, o vento mais forte chegou a 170,5 km/h em Halifax, no estado de Nova Escócia, extremo leste do país. No sul desse estado, as ondas chegaram a 17 metros de altura. As informações são do The Weather Network.

Já o maior acúmulo de neve chegou a 76 centímetros no município de Rockwood, no estado de Maine. A menor temperatura mínima atingiu -26,1°C em Mount Washington, em New Hampshire.

internacional 01 01 18 1

A imagem gerada pelo satélite Geostationary Operational Environmental Satellite (GOES) 16 emoldura a dimensão de “Grayson” sobre a América do Norte, onde, além do Canadá e Estados Unidos, seus efeitos foram sentidos até mesmo na América Central, com queda acentuada das temperaturas em Belize, El Salvador, Guatemala e Honduras, sendo a frente fria mais extensa ao avançar para sul nas últimas décadas.

“Grayson” é considerada a pior tempestade de inverno desde a grande erupção de ar gelado de outra mega tempestade, de 04 de janeiro de 1989. Os prejuízos desta vez foram minimizados dado o deslocamento muito rápido do ciclone.

internacional 01 01 18 1

Localização

internacional 01 01 18 1

(Crédito das imagens: Reprodução/Google – Reprodução/NWS - Reprodução/Boston Fire Departament – Reprodução/Duxbury Police Departament – Julio Cortez – Mary Altaffer - Matt Rourke - Sharyn Woodman)

(Fonte da informação: De Olho No Tempo Meteorologia)

Deixe seu Comentário