Campo Grande - Mato Grosso do Sul, 13 de Outubro de 2019

Agro e sustentabilidade

Senar/MS amplia as atividades de assistência técnica e gerencial atendendo mais de 1.700 propriedades

Redação TerereNews
Foto: senar-ms-balanco senar-ms-balanco

O ano de 2017 consagrou uma nova vertente do Senar/MS: a assistência técnica e gerencial (ATeG) nas propriedades.

Por meio dos programas Mais Inovação (voltado para a recuperação de áreas degradadas e melhoria da eficiência produtiva), Hortifrúti Legal (produção de hortifrutigranjeiros), Mais Leite, Mais Floresta e Piscicultura, o programa do Senar/MS atendeu 1.746 propriedades em 54 municípios do estado.

Foram mais de 82 mil horas de consultoria aplicadas por 81 técnicos de campo, a 174 turmas de produtores em todas as regiões do estado. Ao promover ações que estimulam a aplicação de novas tecnologias e a melhoria no gerenciamento das propriedades, além da capacitação de gestores e colaboradores, o ATeG possibilitou que os participantes conseguissem bons resultados financeiros. A comercialização de hortifrútis produzidos pelos integrantes do programa, por exemplo, movimentou neste ano R$ 4,3 milhões.

“O Senar/MS, que há décadas o capacita, intensifica a transferência de conhecimento por meio da assistência técnica. Acreditamos que o ATeG é hoje uma das principais ferramentas para transformar vidas no campo”, esclarece o superintendente do Senar/MS Lucas Galvan.

Nos programas de ATeG, os produtores rurais interessados são organizados em grupos, passando inicialmente por um conjunto de cursos do Senar/MS, estruturados para cobrir as áreas técnica e gerencial. Em seguida, cada produtor desenvolve com os técnicos da ATeG um plano de trabalho, que será implementado na propriedade e com acompanhamento por dois anos.

No programa Hortifruti Legal, onde são acompanhados mais de 400 produtores, foram criados grupos de comercialização, com assistência técnica especializada na área. “Com os técnicos auxiliando nos processos de comercialização, os horticultores puderam planejar e estruturar sua produção de acordo com o mercado. Hoje os produtos estão disponíveis nos momentos certos e nas quantidades que o mercado está pronto para absorver”, complementa o superintendente.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Sistema Famasul

Deixe seu Comentário