Campo Grande/MS, 15 de Agosto de 2018

Campo Grande

Primeira edição da corrida Tia Eva foi um sucesso, comemorações seguem até o dia 27

Redação TerereNews
Foto: 1º-Corrida-Tia-Eva-Terere-News-12-05-2018 (49) 1º-Corrida-Tia-Eva-Terere-News-12-05-2018 (49)
1º-Corrida-Tia-Eva-Terere-News-12-05-2018 (49)

Comunidade de Tia Eva é reconhecida como comunidade quilombola

Aconteceu na manhã deste domingo (13) em Campo Grande (Dia das Mães) a primeira corrida da comunidade Tia Eva em sua 99ª edição, o percusso foi de 5 km pelas ruas do Bairro Jardim Centenário.

A competição faz parte das comemorações em homenagem a São Benedito e teve cerca de 250 inscritos explicou Márcio Rodrigues organizador do evento.

De acordo com o presidente Eurídes Antônio da Silva (descendente da quinta geração) em 2019 a comunidade dos descentes da Tia Eva vai completar 100 anos e terá uma festa maior ainda. A programação segue até o dia 27 com a primeira feijoada e a tradicional partida de futebol.

A Associação Médica de Mato Grosso do Sul foi uma das apoiadoras  da corrida e a presidente Dra. Maria José Martins Maldonado se fez presente durante a premiação.

 

Confira todas as fotos em nossa galeria - aqui.

 

História da comunidade

A história da comunidade se confunde com a própria história de Tia Eva. Escrava nascida em Mineiros, Goiás, Eva Maria de Jesus sempre sonhou um dia poder criar suas filhas com a melhor educação do mundo. Casada por duas vezes, Eva Maria teve três filhas: Joana, Lazara e Sebastiana. Em 1887, aos 49 anos, Eva obteve sua carta de alforria, momento no qual realizaria seu segundo sonho: ir para o Mato Grosso (atualmente, Mato Grosso do Sul) e construir um lugar para seus descendentes. Saiu de Goiás em 1905, chegando em Campos de Vacaria, hoje, Campo Grande, onde trabalhou como lavadeira, parteira, cozinheira, curandeira e benzedeira. Vida nada fácil. Era uma espécie de médica da época. Mais impressionante ainda era que sabia ler e escrever, pra quem havia sido escrava isso era um dom. Procurada por inúmeras pessoas, tornou-se referência na comunidade, o que lhe rendeu alguns benefícios financeiros. Até que em 1910 adquiriu uma terra de oito hectares que lhe custou 85 mil réis, onde atualmente, residem mais de 60 famílias descendentes. (Com informações de Palmares.com.br)

Não há fotos de Tia Eva. O busto, por exemplo, foi baseado em uma filha. Tudo foi baseado em depoimentos familiares.

 

Deixe seu Comentário