Campo Grande - Mato Grosso do Sul, 20 de Setembro de 2019

Polícia

Polícia Federal cumpre mandados contra donos de universidade que fez vítimas na fronteira

Ponta Porã Informa
Foto: Ponta Porã Informa vítimas na fronteira

Durante oito meses de investigações, a PF apurou as informações recebidas e concluiu que o líder da organização criminosa é o próprio dono da universidade, que também ocupa o cargo de reitor.

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta terça-feira 03, a Operação Vagatomia, que investiga um grande esquema de fraudes na concessão do Financiamento Estudantil do Governo Federal (FIES) e na comercialização de vagas e transferências de alunos do exterior (principalmente Paraguai e Bolívia) para o curso de medicina em Fernandópolis(SP). Bolsas do PROUNI e fraudes relacionadas a cursos de complementação do exame Revalida também estão sob investigação da PF.

A Universidade Brasil, alvo da investigação fez dezenas de vítima em Ponta Porã e Pedro Juan Caballero onde captava alunos de universidades paraguaias que eram atraídos com falsa promessa de estudarem em uma universidade brasileira e ter seus diplomas reconhecidos em todo o Brasil. Com isso muitos deixaram as faculdades que estudavam e se aventuravam e transferiam seus cursos para aquela instituição.

Aproximadamente 250 policiais federais estão cumprindo 77 mandados judiciais expedidos pela Justiça Federal de Jales/SP nas cidades paulistas de Fernandópolis, São Paulo, São José do Rio Preto, Santos, Presidente Prudente, São Bernardo do Campo, Porto Feliz, Meridiano, Murutinga do Sul, São João das Duas Pontes e Água Boa no Mato Grosso. Entre os mandados judiciais expedidos estão 11 prisões preventivas, 11 prisões temporárias, 45 ordens de busca e apreensão e 10 medidas cautelares (alternativas à prisão). A Justiça Federal também determinou o bloqueio de bens e valores dos investigados até o valor de R$ 250 milhões.

No início do ano, a PF recebeu informações que relatavam crimes e irregularidades que estariam ocorrendo no campus de um curso de medicina em Fernandópolis/SP. Vagas para ingresso, transferência e financiamentos FIES para o curso de medicina estariam sendo negociados por até R$ 120 mil por aluno.

Estimativas iniciais da PF indicam que, nos últimos cinco anos, aproximadamente R$ 500 milhões do FIES e PROUNI foram concedidos fraudulentamente. Cursos relacionados ao exame Revalida e transferências do exterior para cursos de medicina no Brasil também estão sob investigação

Deixe seu Comentário