Campo Grande - Mato Grosso do Sul, 19 de Outubro de 2019

Internacional

Pelo menos 13 mulheres morreram e oito menores estão desaparecidos após naufrágio no Mediterrâneo

Expresso - Portugal
Foto: Divulgação / Assessoria pelojpg.jpg

Pelo menos 13 mulheres morreram e oito crianças estão desaparecidas na sequência de um naufrágio de um barco com meia centena de migrantes no domingo à noite no Mediterrâneo próximo da ilha de Lampedusa, anunciaram esta terça-feira as autoridades italianas.
O acidente com a embarcação, que tinha partido da Líbia e passado pela Tunísia, terá acontecido devido às difíceis condições meteorológicas e a um movimento causado pelos migrantes oriundos da África subsaariana, que entraram em pânico e que se concentraram todos numa ponta do barco.
As equipas de resgate ainda conseguiram salvar 22 migrantes, enquanto as famílias já identificaram quatro vítimas, de acordo com o último balanço das autoridades. A guarda costeira refere que a embarcação era de madeira e frágil, não estando preparada para o percurso efetuado.
A organização não-governamental (ONG) Open Arms acusou as autoridades italianas de não terem feito o suficiente para salvar os migrantes que seguiam a bordo da pequena embarcação que se virou no domingo à noite a seis milhas da ilha de Lampedusa.
O número de migrantes que chegaram à Europa voltou a aumentar em 2019 – só em agosto quase 8 mil chegaram à Grécia. Nos últimos seis anos, quase 20 mil migrantes morreram quando tentavam alcançar o velho continente.

Deixe seu Comentário