Campo Grande - Mato Grosso do Sul, 23 de Outubro de 2019

Deputados Estaduais de MS

Para coibir criminosos, Coronel David pede atuação da Força Nacional em Coronel Sapucaia

Assembleia Legislativa do Mato Grosso do Sul
Foto: Assembleia Legislativa do Mato Grosso do Sul Coronel David pede atuação da Força Nacional em Coronel Sapucaia

Sempre empenhado em buscar investimentos que tragam mais segurança e desenvolvimento à Mato Grosso do Sul, o deputado estadual Coronel David (PSL), esteve nesta quarta-feira (12), na Capital Federal, Brasília – DF.

Na oportunidade, o parlamentar se reuniu com o Ministro-Chefe da Secretaria de Governo, General Santos Cruz, que é considerado por muitos, um dos principais homens de confiança do presidente Jair Bolsonaro (PSL), para discutir projetos que tragam mais segurança à MS. “Segurança Pública sempre foi uma das prioridades do meu mandato, por isso trouxe à Brasília diversas demandas importantes, entre elas um encaminhamento à Secretaria de Governo sobre a disponibilidade da Força Nacional atuar em Coronel Sapucaia, fortalecendo assim a segurança na região e impedindo que o PoderJudiciário local feche as portas por falta de segurança", pontuou Coronel David. Ainda segundo o parlamentar, as demandas entregues serão protocoladas por meio de notas técnicas pela Secretaria de Governo e encaminhadas aos Ministérios.

Governo Federal e MS no combate ao crime organizado

Em maio, o parlamentar solicitou ao Governo do Estado informações sobre a atuação das forças de segurança no convênio entre Polícia Civil/Ministério da Justiça/Polícia Federal no combate ao tráfico em MS, e demonstrou preocupação sobre a necessidade da renovação do contrato com o Governo Federal.

Atualmente, o contrato prevê que MS realize todas as apreensões de combate ao tráfico de drogas local, o que tem um custo elevado. Em três anos, foram apreendidas quase 1.500 toneladas de drogas, mais de 33 mil laudos periciais foram feitos e cerca de 11 mil procedimentos foram realizados pela Polícia Civil, além do custo com a custódia de presos, que anualmente alcançam a cifra de R$ 133 milhões de reais.

O Estado tem 1.517 quilômetros de fronteira com o Paraguai e a Bolívia, países com alto índice de produção de drogas. Entre 2015 e maio deste ano, a polícia sul-mato-grossense apreendeu cerca de 1,5 milhão de toneladas de entorpecentes, em sua grande maioria, maconha e cocaína, que teria como destino os grandes centros nacionais e internacionais. Uma das consequências desta situação é a sobrecarga do sistema penitenciário estadual, que hoje administra em suas unidades prisionais cerca de 7.300 presos, o que corresponde a 40% da população carcerária de Mato Grosso do Sul.

Por: Taciane Peres - DRT 512/MS 

Deixe seu Comentário