Campo Grande - Mato Grosso do Sul, 22 de Setembro de 2019

Nacional

Pacientes do Badim morreram por asfixia de fumaça tóxica

Agência Brasil
Foto: Divulgação / Assessoria pacientesjpg.jpg

Os pacientes que morreram em decorrência do incêndio no Hospital Badim, zona norte do Rio, estavam internados no Centro de Tratamento Intensivo (CTI), no 3° andar do prédio mais antigo do hospital. A principal causa das mortes foi asfixia por ingestão da fumaça tóxica que se desprendeu, após um curto circuito no gerador instalado no subsolo do prédio. O incêndio começou no final da tarde de ontem (12).
O Instituto Médico-Legal (IML) divulgou os nomes dos dez corpos que deram entrada na unidade. Todos foram identificados e necropsiados e estão liberados para os familiares.
As vítimas são:
Alayde Henrique Barbieri, 96 anos
Ana Almeida do Nascimento, 95 anos;
Berta Gonçalves Berreiros Sousa, 93 anos;
Darcy da Rocha Dias, 88 anos;
Irene Freitas, de 83 anos;
José Costa Andrade,79 anos
Luzia dos Santos Melo, 88 anos;
Maria Alice Teixeira da Costa, 75 anos;
Marlene Menezes Fraga, 85 anos;
Virgílio Claudino da Silva, 66 anos.
A décima primeira vítima, confirmada pelo diretor técnico do Hospital Badim, Fábio Santoro, morreu no Hospital Israelita Albert Sabin, no bairro do Maracanã, para onde foi transferida, logo após o incêndio. O corpo não foi transferido para o IML e o nome da vítima ainda não foi divulgado oficialmente.
*matéria atualizada as 18h15 para acréscimo de informações e correção da idade de Virgílio Claudino da Silva. Ao contrário do informado, a vítima tinha 66 anos e não 79 anos
Edição: Denise Griesinger

Deixe seu Comentário