Campo Grande - Mato Grosso do Sul, 19 de Outubro de 2019

Nacional

ONG que moveu ação com PT contra Moro costurou acordo do PCC com Comando Vermelho

Liga Patriótica
Foto: Divulgação / Assessoria ongjpg.jpg

Em agosto, o Globo noticiou que o Instituto Anjos da Liberdade foi responsável por costurar um acordo entre o PCC e o Comando Vermelho contra a portaria de Sergio Moro que restringiu visitas a presídios.
Três ações foram protocoladas pela ONG, que agora é suspeita de receber recursos do PCC – assim como advogados do PT – para promover a medida.
A presidente do Anjos da Paz, a advogada Flávia Pinheiro Fróes, disse ao jornal carioca na ocasião que o trabalho era gratuito.
“Existia uma preocupação a respeito de quem me pagava (se era a facção rival). Eu disse: ‘Ninguém paga, não. O instituto tem um trabalho gratuito, a gente não recebe de ninguém’”, afirmou Fróes, que defende integrantes das facções Comando Vermelho, Terceiro Comando e Amigos dos Amigos.
Em 2010, Flávia foi denunciada pelo Ministério Público por associação com o tráfico de drogas. Acusada de envolvimento numa série de ataques organizados por Marcinho VP e Elias Maluco, a advogada teve prisão decretada e o registro da OAB suspenso.
Ela e outros dois advogados permaneceram foragidos até a revogação da prisão pelo TJRJ. Depois, foi absolvida a pedido do próprio MP.
A ONG de Fróes, no mesmo mês em que impetrou as ações contra a portaria de Moro, também pediu à Promotoria Geral do Tribunal Penal Internacional a abertura de investigação de Jair Bolsonaro por “crimes contra a humanidade”.
O presidente foi acusado de “apologia ao genocídio de índios da Amazônia, à tortura, ao desaparecimento forçado e ao homicídio indiscriminado e a defesa de políticas de extermínio”.

Deixe seu Comentário