Campo Grande - Mato Grosso do Sul, 22 de Setembro de 2019

Variedades

Nova campanha está pedindo para países ajudarem a batizar planetas distantes

Gizmodo
Foto: Divulgação / Assessoria campsjpg.jpg

 
Uma nova campanha liderada pela IAU (International Astronomical Union, a União Astronômica Internacional) chamada de IAU100 NameExoWorld permitirá que cada país do mundo dê nome a uma estrela e a um exoplaneta. A entidade deu mais detalhes sobre a empreitada nesta quinta-feira (6).
Quase 100 países já assinaram e estão prontos para o próximo passo, que envolve campanhas nacionais para selecionar os nomes e fornecer a oportunidade para o público votar. O ponto disso tudo, nas palavras do IAU, é “gerar consciência sobre nosso espaço no Universo e refletir como a Terra seria potencialmente percebida pela civilização de outro planeta”.
São objetivos nobres até, mas a competição serve para um propósito prático. Astrônomos detectaram cerca de 4 mil exoplanetas nas últimas três décadas, e praticamente todos eles estão presos a designações científicas complicadas, como KMT-2017-BLG-1146Lb, OGLE-2013-BLG-0132Lb e 2MASS J19383260 + 4603591b, apenas para citar três.
A IAU é o órgão regulador de tais questões e está lançando esta nova campanha para comemorar seu centésimo aniversário. Este é o segundo concurso do gênero da IAU. A primeira campanha, de 2015, se chamava NameExoWorlds. Por meio dela, 31 exoplanetas de 19 sistemas planetários foram batizados pelo público — quer dizer, o público conseguiu votar em uma lista pré-selecionada de 247 nomes propostos por grupos astronômicos, universidades, planetários e similares.
Esses nomes, no entanto, foram previamente examinados pela IAU. As chances de poder votar em Planet McPlanetface ou Cybertron, portanto são quase nulas. Mesmo assim, alguns nomes não convencionais e estranhos foram selecionados no concurso de 2015, incluindo Spe, Orbitar, Poltergeist, Dagon e AEgir.
A IAU está repetindo a iniciativa, mas em uma escala maior. Todo país participante terá uma estrela e um exoplaneta solitário (sistemas com mais de um planeta conhecido foram excluídos) atribuídos a eles. Em todos os casos, a estrela designada pode ser vista de seu respectivo país e é brilhante o suficiente para ser localizada com pequenos telescópios.
As campanhas nacionais ocorrerão entre junho e novembro de 2019, com resultados sujeitos a um processo de verificação pelo Comitê de Direção da IAU100 NameExoWorlds. Os resultados serão anunciados em dezembro. Os países que ainda não se inscreveram têm até 30 de julho de 2019.
 

Deixe seu Comentário