Campo Grande - Mato Grosso do Sul, 19 de Junho de 2019

Tecnologia

Modelo de Inteligência Artificial expõe preconceito contra mulheres em Hollywood

Olhar Digital
Foto: Divulgação / Assessoria mulheesjpg.jpg

 

Pesquisadores da Queen Mary University publicaram um estudo baseado em inteligência artificial (IA), que indica que Hollywood pode ser muito mais machista e elitista do que todos achavam. Eles identificaram que o desemprego entre atores chega a cerca de 90% e apenas 2% conseguem ganhar a vida com a profissão. Mas, para as mulheres, é ainda pior. A IA analisou os dados do IMDB (Internet Movie Database, um banco de dados com uma infinidade de informações sobre filmes e séries) e descobriu que um período sem trabalho na carreira de uma atriz tem muito mais chances de se tornar  um desemprego permanente do que do homem. 
O modelo de IA desenvolvido pelos pesquisadores analisou os perfis de mais de dois milhões de atores e atrizes no IMDB. O objetivo era ver se eles poderiam ensinar uma máquina a prever quando um artista teria seu melhor ano. E eles alcançaram sucesso. O algoritmo pode determinar com precisão de 85% quando um ator terá seu melhor ano profissional.
A equipe descobriu que as atrizes são menos propensas a encontrar trabalho consistente e têm chances menores de se recuperar de momentos frios em suas carreiras. Em essência, o desemprego temporário de uma mulher no show business é muito mais provável que se torne permanente do que o de um homem.
"Certos padrões que nós mostramos diferem atores e atrizes, sugerindo grandes evidências de discriminação de gênero - não apenas nos permite identificar a qualidade da carreira de atores e atrizes, mas também ganham uma visão profunda de como os trabalhos são designados, no qual a alta produtividade não é necessariamente baseada em mérito, mas provavelmente por causa de conexões" 
Fora isso, parece que os ricos ficam cada vez mais ricos nessa área. O número de trabalhos não é apenas escasso, mas também ficam restritos a alguns membros da elite. Nesse caso, conhecer pessoas é mais importante para o sucesso do que, oficialmente, atuar bem. 
A primeira mensagem que emerge da nossa análise quantitativa é da categoria "um só sucesso", ou seja, atores cuja boa fase da carreira abrange apenas um ano e que são a norma e não a exceção. Longos períodos da carreira em alta atividade são considerados exponencialmente raros, sugerindo uma escassez de recursos no mundo da atuação.
Esses resultados estão de acordo com evidências previamente coletadas, apontando para o fato de que as taxas de desemprego em atores oscilam em torno de 90%, e que apenas 2% dos atores são capazes de ganhar a vida com a atuação.
Via: The Next Web
 

Deixe seu Comentário