Campo Grande - Mato Grosso do Sul, 22 de Setembro de 2019

Artigos

Maciel Corrêa - Por: Rosildo Barcellos

Foto: ALMS Maciel Corrêa

*PURAHEI IJAPYRAYVA

                               Rosildo Barcellos

 

 Soy che amigo pueblo y que retoza en la bailanta

 Un relampago de amor soy tu corazón que canta

 No hay destierro para mi soy el sol de nuestra gente

 Del arraigo y la pasión soy el alma de Corrientes

                                   Soy El Chamamé / música de Antonio Tarrago Ros

 

             MACIEL CORRÊA,    filho  de  Manoel  José  Maciel  e  Anercina   Corrêa Maciel, nasceu no dia 14 de julho de 1942, na Fazenda Mutum, no município de Rio Brilhante/MS Sua primeira gravação, foi o LP CADEADO DE OURO, produzido pelo amigo Ado. Aliás Ado fez belíssimas composições ao lado de Rondinelli que mais tarde participou ao lado de Amanbai e Maciel Correa do grupo Os Tigres e dono de uma biografia incrível, que contarei em outra oportunidade  Por outro lado, uma de suas composições  mais conhecidas foi gravada no seu quinto LP  O PASSO DO TUIUIU  nome este no qual se inspirou para fazer a música em homenagem  ao pássaro que é tido como  ave símbolo do nosso maravilhoso pantanal   e que ajuda  a  enriquecer  suas  lindas  paisagens pantaneiras. Acordeonista, músico e compositor, Participou da gravação de várias músicas com Délio & Delinha, destacando o clássico da música regional, O Sol e a Lua. Que imortalizou a expressão segura Maciel Correa.  Sem sombra de dúvida que o músico ganhou reconhecimento nacional, pelo seu estilo próprio. Maciél Corrêa também enveredou no segmento gospel, com um CD que tem o título de Caminhando com Jesus Maciel tem mais de 4 décadas de estrada. Entre seus maiores sucessos, estão Diamante Negro, Cadeado de Ouro,Manhã de Primavera e Cheiro de Barro num ritmo bem amiúde com a música paraguaia. Aliás os paraguaios são o maior grupo étnico estrangeiro em Mato Grosso do Sul, tendo se estabelecido na região desde a demarcação da fronteira entre o estado e aquele país.Certamente que a sua influência cultural se tornou próxima, tanto pelo consumo de erva-mate, em forma de tereré,tanto pelas polcas paraguaias, guarânias e chamamés, tanto quanto pelas chipas . Aliás, foi com uma receita caseira paraguaia, que se criou o Hospital Adventista do Pênfigo, hoje referência no tratamento do pênfigo ou fogo selvagem.Após um show em Corumbá com ele tocando e meus pés puxando pro salão,tive uma conversa com o ícone da sanfona no estado, o músico Maciel Correa, e nesta ocasião ele comentava que  não sabe explicar a origem de seu talento para compor. De acordo com o mestre da sanfona, a música simplesmente vem. Eu cresci ouvindo polca paraguaia, nessas fronteiras o que mais se escutava era isso. Meu pai tocava polca, eu aprendi a tocar.Ele, conta que sua paixão sempre foi tocar acordeom, ou sanfona, e que para aprender fez um mês de aula e brincou dizendo que até hoje está tentando aprender a tocar! Para quem está começando, Maciel recomenda que nada na vida é conquistado do dia para a noite. Tudo é através de uma caminhada. Se desistir no primeiro obstáculo, não vai chegar a lugar algum, tem que insistir e perseverar naquilo que quer. E é essa humildade parceria e encantamento musical que resume a vida de Maciel Correa, exemplo de artista e de pessoa, Disse também que sua filha está organizando material para fazer um documentário. Guarde este texto como uma homenagem para que continue cantando o amor, o verdadeiro e apaixonante amor.., por que sabemos Mborayhu ha Ñandejára rovasa peẽme guarã que o amor é a benção de Deus sobre nós.

 

*PURAHEI IJAPYRAYVA (LA CANCIÓN SIN FRONTERAS - A CANÇÃO SEM FRONTEIRAS).

*Membro do Conselho de  Cultura.

Deixe seu Comentário