Campo Grande - Mato Grosso do Sul, 19 de Outubro de 2019

Turismo e gastronomia

Lontra Albina deixa se fotografar no Pantanal de Mato Grosso do Sul

G1/MS
Foto: Pousada Aguapé Lontra Albina

O Pantanal brasileiro é casa de muitas espécies animais, de aves a serpentes. O Mato Grosso do Sul é um dos estados que nos presenteia com uma exuberância incrível de sua fauna. Não é à toa que se tornou um destino muito procurado pelos amantes da natureza que são surpreendidos com a beleza animal quando visitam a região.

Um grupo de turistas teve as próprias expectativas superadas ao visitar o Pantanal recentemente. O motivo? O grupo flagrou uma lontra albina. Com o corpo inteiramente branco e o focinho cor de rosa, a lontra albina foi vista apenas duas vezes — no mês de agosto — por guias de uma pousada.

A administradora da pousada, Joana Tatoni, contou em entrevista ao G1 que o guia avistou a lontra durante um passeio de barco, mas só conseguiu identificar que ela era “diferente” ao se aproximar. “Quando foi fotografada estava sozinha e se alimentando de um peixe” disse.

As lontras albinas são consideradas muito raras na natureza e, de acordo com o oceanógrafo Oldemar Carvalho, elas são frutos de genes recessivos. Há, de acordo com o especialista, casos registados na Escócia, mas com outra espécie de lontra. No Brasil, se conhecia até agora apenas uma, que vive no Parque Zoobotânico de João Pessoa.

Como as mutações são muito raras e com poucos casos relatados, o oceanógrafo explica que os estudos ficam prejudicados, mas já é possível afirmar que a lontra albina tem algumas desvantagens na natureza, como a dificuldade de camuflagem e o incômodo nos olhos devido à maior exposição aos raios solares. Por isso, a lontra albina pode ter a visão prejudicada em dias muito claros.

A lontra albina ainda pode ter dificuldade no acasalamento e o filhote pode sofrer com a rejeição da mãe.

Deixe seu Comentário