Campo Grande - Mato Grosso do Sul, 19 de Outubro de 2019

Internacional

Khamenei acusa inimigos de procurarem semear discórdia entre Irão e Iraque

Expresso - Portugal
Foto: Divulgação / Assessoria khameneijpg.jpg

Após terem travado uma guerra (1980-1988), os dois países de maioria xiita aproximaram-se após a queda de Saddam Hussein em 2003, depois da invasão norte-americana do Iraque.
O Irão apoia vários grupos armados xiitas no Iraque e ajudou o poder iraquiano na sua guerra contra o grupo extremista Estado Islâmico.
Os Estados Unidos, inimigos do Irão, são também aliados de Bagdad.
"O Irão e o Iraque são duas nações cujo coração e alma estão ligados (...). Inimigos procuram semear a discórdia, mas falham e a sua trama não terá efeitos", escreveu Khamenei na rede social Twitter, sem precisar quem são os "inimigos".
Segundo a agência oficial Irna, a mensagem foi divulgada em reação às manifestações que ocorrem em Bagdad e no sul iraquiano desde 1 de outubro, para exigir mais empregos e o combate à corrupção.
O Ministério do Interior iraquiano indicou no domingo que 104 pessoas, incluindo oito polícias, foram mortas e 6.107 outras, incluindo mais de 1.200 elementos das forças de segurança, ficaram feridas nos protestos no país.
O movimento de contestação ocorre quando milhares de iranianos iniciaram a grande peregrinação xiita anual ao túmulo do imã Hussein em Karbala, a 110 quilómetros a sul de Bagdad, que culmina a 17 de outubro com as celebrações do Arbain, o fim do luto pelo assassinato daquele neto de Maomé.
O Irão apelou aos seus cidadãos para adiarem a sua eventual deslocação ao Iraque. Em 2018, 1,8 milhões de iranianos realizaram a peregrinação.

Deixe seu Comentário