Campo Grande - Mato Grosso do Sul, 15 de Outubro de 2019

Notícias da justiça e do direito

Judiciário de MS põe em prática o acondicionamento adequado de resíduos

Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul
Foto: Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul acondicionamento adequado de resíduos

Já está em vigor a Portaria n. 1.584/2019, que trouxe adequação no acondicionamento dos resíduos sólidos nas dependências do Tribunal de Justiça e demais unidades da comarca de Campo Grande. A  Secretaria de Bens e Serviços (no âmbito do TJMS), o Fórum de Campo Grande e o Cijus já iniciaram as atividades de identificação das lixeiras que ficarão em pontos de acesso comuns. A partir de agora, lixo úmido vai para lixeira de cor marrom, lixo reciclável nas lixeiras de cor verde e papéis, jornais e revistas para caixas de papelão. Confira no final da matéria como fazer a destinação correta do lixo.

Para este procedimento, foi cumprido um estudo minucioso realizado pela Coordenadoria de Serviços Gerais e Atendimento ao Público, vinculadas à Secretaria de Bens e Serviços, em que foram considerados, dentre outros aspectos, o layout dos ambientes e a quantidade de servidores lotados nas áreas, para a destinação das lixeiras em cada setor.

Apenas no ano de 2018, foram adquiridas 540 unidades de lixeira, ao custo de R$ 25,20 cada, sendo que essa redistribuição também tem por objetivo utilizá-las de maneira mais eficiente. As lixeiras excedentes serão reaproveitadas conforme a necessidade das unidades do PJMS.

Vale ressaltar que o sucesso do projeto depende do apoio de servidores, magistrados, prestadores de serviço e demais integrantes do público interno, em prol sobretudo da sustentabilidade do planeta.

Lixeiras adicionais serão disponibilizadas, caso se verifique uma quantidade de resíduos gerados além da capacidade de armazenamento daquelas já em uso. É importante frisar que os prestadores de serviços de limpeza estão autorizados a recolher somente os resíduos acondicionados nos recipientes devidamente identificados.

Os resíduos recicláveis recolhidos serão destinados às cooperativas e/ou associações de catadores de material reciclável. Por meio deste ação, o Poder Judiciário de MS passa a melhor cumprir com sua responsabilidade socioambiental, elevando a eficiência econômica, contribuindo com a sociedade e reduzindo o impacto ambiental de sua atividade.

Saiba mais – Copos descartáveis usados por refrigerante, café, suco, etc, não têm possibilidade de reciclagem por estarem contaminados, assim como embalagens de iogurte, biscoitos, batatas e outros alimentos industrializados, devendo ser descartados nas lixeiras com identificação na cor marrom.

Já latas, embalagens pet e garrafinhas de plástico poderão ser descartadas na lixeira reciclável de cor verde, porém devem estar vazias para não contaminar os demais materiais recicláveis.

Papel comum A4, jornais e revistas deverão ser depositados nas caixas de papelão identificadas com adesivo azul. Se houver informações sensíveis nesses papéis estes deverão ser rasgados e, em hipótese alguma, amassados.

Deixe seu Comentário