Campo Grande - Mato Grosso do Sul, 17 de Outubro de 2019

Internacional

Índia proíbe venda, produção e importação de cigarros eletrónicos

LILIANA COELHO
Foto: Divulgação / Assessoria httpariquemesonlinecombrimg370206gindiajpg.jpg

Ogoverno indiano decidiu proibir a produção, distribuição e importação de cigarros eletrónicos no país, tendo em conta os potenciais riscos para a saúde, nomeadamente de jovens.
A iniciativa do ministro da Saúde indiano foi anunciada esta quarta-feira pelo ministro das Finanças, Nirmala Sitharaman. “Com esta ordem executiva está interditada a produção, importação, exportação, venda, distribuição e toda a publicidade relacionada com os cigarros eletrónicos”, declarou o governante em conferência de imprensa em Nova Deli.
Segundo Nirmala Sitharaman, é vital avançar com esta medida com vista a evitar uma epidemia entre os jovens indianos, uma vez que os cigarros eletrónicos são muito populares entre as camadas mais jovens.
“Este tipo de produtos têm uma aparência atrativa e vários sabores, sendo que o seu uso aumentou exponencialmente, atingindo proporções epidémicas nos países desenvolvidos. Há relatórios que indicam que alguns jovens aderiram aos cigarros eletrónicos por uma questão de estilo, por considerarem isso 'cool'”, acrescentou o ministro das Finanças indiano.
O objetivo é o de proteger a saúde dos cidadãos na Índia, onde existem mais de 100 milhões de fumadores adultos, um número só ultrapassado pela China. Quem desrespeitar a ordem executiva pode ser condenado a uma pena de prisão superior de um ano e/ou ao pagamento de uma multa no valor de 1267 euros.
Na Índia estima-se que mais de 900 mil pessoas morrem todos os anos devido a doenças relacionadas com o tabaco. No país estão à venda produtos de cerca de 400 marcas e de 150 sabores.
Esta medida surge uma semana depois de o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças dos EUA ter alertado que existem 450 casos de doenças pulmonares no país, além de cinco mortes, que estão a ser investigadas por terem sido potencialmente causadas por cigarros eletrónicos. Entretanto, o número de vítimas mortais por doença pulmonar associada à utilização de cigarros eletrónicos subiu para sete, anunciaram na terça-feira as autoridades norte-americanas.
O número de pessoas no mundo que aderem aos cigarros eletrónicos continua a crescer de forma exponencial, tendo aumentado de sete milhões em 2011 para 41 milhões no ano passado.

Deixe seu Comentário