Campo Grande - Mato Grosso do Sul, 24 de Abril de 2019

Últimas Notícias

Governo Bolsonaro tem legitimidade para comemorar golpe de 64

Coluna do Holanda
Foto: Reprodução Militares nas ruas durante repressão de protestos.
Militares nas ruas durante repressão de protestos.

A sociedade - ou parte dela - ainda não percebeu que o governo Bolsonaro é militar. Que os militares retornaram ao poder pelos braços do povo. Portanto, se opor as comemorações  deste 31 de março,  ou os 55 anos da deposição do presidente João Goulart, faz pouco sentido.

Não importa o que vai ser lido, dito ou comemorado neste domingo dentro dos quartéis. Importa que os brasileiros, divididos na última eleição, pediram o retorno dos militares e a vitória de Bolsonaro representou claramente esse desejo.

Foi um retrocesso?  Um passo para trás?  Claro que foi. Mas esse é o preço das escolhas que se faz e na democracia se erra muito e  se acerta muito pouco.

Ainda é, entretanto, o melhor sistema de governo. No caso brasileiro, com mais riscos porque instituições como o Supremo Tribunal Federal têm sido alvos  de ataques cuja  origem todos conhecem.

A decisão da desembargadora Maria do Carmo Cardoso, do Tribunal  Federal da 1ª Região, suspendendo determinação  da 6ª Vara Federal  que proibia os atos de comemoração do  golpe militar de 1964, de certa forma representa um revés para o  Ministério Público Federal, que havia feito uma recomendação em contrário.

O próprio MPF precisa rever seus conceitos e olhar o governo do Brasil como ele de fato  é: militar, autoritário.

Aderir a ele como fez o ex-juiz da Lava Jato, Sérgio Moro, foi desconhecer  seus defeitos e os riscos que representa para o futuro do Pais. Mas, como disse acima, somos  vítimas  de nossas escolhas, muitas vezes equivocadas.

Deixe seu Comentário