Campo Grande - Mato Grosso do Sul, 16 de Setembro de 2019

Internacional

Governo americano achava que não era preciso fornecer sabonete e pasta de dentes a crianças detidas

Expresso
Foto: Divulgação / Assessoria juizesjpg.jpg


Sabonete e pasta de dentes. Eram duas coisas que juristas da administração Trump achavam desnecessário fornecer às crianças que se encontram detidas por terem entrado ilegalmente nos EUA, muitas delas na companhia de familiares. Embora a lei mande que as crianças sejam detidas em condições "seguras e higiénicas", um representante do governo defendeu em tribunal que isso não incluía os dois artigos acima referidos - nem colchões básicos para as crianças dormirem.
A decisão anunciada quinta-feira foi tomada por um painel de três juízes federais em São Francisco, depois de Trump ter alegado que as proteções concedidas aos detidos funcionavam como um elemento de atração para eles. "Assegurar que as crianças têm suficiente alimentação comestível, bebem água potável, estão instaladas em locais higiénicos com casas-de-banho limpas, têm sabonete e pasta de dentes e não sofrem de falta de sono é sem dúvida essencial à segurança das crianças", escreveu um dos juízes.
Em junho passado, quando o caso foi discutido em tribunal, os argumentos do representante do governo indignaram os juízes, e o diálogo então mantido rapidamente foi parar às redes sociais. Dias depois, segundo o New York Times, um grupo de advogados que visitou um local no Texas onde havia centenas de crianças detidas descreveu um cenário geral de negligência, a nível higiénico e não só.
As regras que governam esse tipo de procedimento estabelecem igualmente que as crianças não devem ficar detidas por mais que vinte dias. Foi outro aspeto que os juízes declinaram rever, referindo a necessidade de usar o senso comum na aplicação das regras.

Deixe seu Comentário