Campo Grande - Mato Grosso do Sul, 24 de Agosto de 2019

Esportes

EUA são desclassificados, e Brasil herda ouro no revezamento 4x100m medley misto

Mais Esporte
Foto: Divulgação / Assessoria euajpg.jpg

Além do ouro de Marcelo Chierighini nos 100m livre, o Brasil fechou o segundo dia de natação nos Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru, com mais uma medalha dourada. Na prova do revezamento 4x100m medley misto, a equipe brasileira, que terminara em segundo, se beneficiou com a punição imposta aos Estados Unidos, que foram desclassificados na prova, e subiu ao lugar mais alto do pódio.
O Brasil disputou o revezamento 4x100m medley misto com Guilherme Guido, João Gomes Júnior, Giovanna Diamante e Larissa Oliveira, e levou a prata, superado pelos EUA. Os norte-americanos, no entanto, foram punidos pela organização por causa de infração cometida pelo nadador Cody Miller, em uma braçada ilegal no estilo peito.
Com isso, o Brasil ficou com o ouro na prova que entrou para o programa dos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020. Os brasileiros marcaram tempo de 3min42seg96, enquanto o Canadá, que ficara em terceiro, subiu ao pódio com a prata e alcançou tempo de 3min49seg97. 
Minas-tenista é prata e Brasil tem medalha inédita
Guilherme Guido também foi outro nadador do Brasil que subiu ao pódio na noite desta quinta-feira. Ele conquistou a medalha de prata na prova dos 100 metros costas, com a marca de 53s54, e só foi superado pelo norte-americano Daniel Carr, com 53s50. O bronze ficou com Dylan Carter, com 54s52. No fim, Guido acabou repetindo a prata que conquistou nesta mesma prova no Pan de Toronto-2015, no qual chegou a estabelecer o recorde da competição, com 53s12.
E outro brasileiro que fechou a noite de quinta-feira com uma medalha de prata no peito foi Miguel Leite Valente, do Minas, que terminou em segundo lugar a final dos 800 metros livre. O nadador de BH cravou o tempo de 7min56s37 e superou por pouco o mexicano Ricardo Vargas, bronze ao marcar 7min56s78. Já o ouro foi obtido pelo norte-americano Andrew Abruzzo, que exibiu uma incrível arrancada no fim para triunfar com 7min54s70. O goiano Diogo Andrade Villarinho, que também é atleta minas-tenista, ficou em sexto lugar com o tempo de 8min03s17.
Viviane Jungblut conquistou bronze na final dos 800 metros livre. E a medalha acabou sendo histórica, pois o país nunca havia faturado um pódio nesta prova entre as mulheres em uma edição do Pan.
Viviane garantiu o bronze com o tempo de 8min36s04. Ela só ficou atrás da argentina Delfina Pignatiello, ouro de forma dominante, com 8min29s42, e da norte-americana Mariah Denigan, prata ao fechar a disputa em 8min34s18. Outra brasileira que participou desta final, Ana Marcela Cunha ficou em sétimo e penúltimo lugar, com o tempo de 8min48s33.
Viviane Jungblut conquistou a segunda medalha de bronze neste Pan em Lima. A gaúcha ficou em terceiro lugar na prova de maratona aquática de 10km, em dobradinha no pódio com Ana Marcela Cunha, que levou o ouro. As duas nadadoras disputaram a final dos 800m, e Viviane fez história também ao faturar pódios em águas abertas e na piscina.
Com o desempenho desta quinta, são 19 medalhas do Brasil na natação deste Pan. E no quadro geral de medalhas em Lima-1019, o país se firmou ainda mais na segunda posição na classificação geral, com 35 ouros, 29 pratas e 51 bronzes, totalizando 115 pódios. Os Estados Unidos, com 84 ouros, 68 pratas e 55 bronzes, são os líderes disparados, com 207 ao total. O México (27-24-46) e um total de 97 ocupa o terceiro lugar.

Deixe seu Comentário