Campo Grande/MS, 15 de Dezembro de 2018

Economia e Negócios

Energisa gera demanda de 700 mil reclamações quanto aos serviços de energia elétrica em Mato Grosso

Tereré News
Foto: TVCA/ Reprodução Variação no valor da fatura gera reclamações
Variação no valor da fatura gera reclamações

Em Mato Grosso do Sul a Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Mato Grosso do Sul - Agepan não dispinibilizou em seu portal informações semelhantes, mas dados do Procon-MS sinaliza a Energisa Distribuidora de Energia como no topo da lista com registro de  2 489 reclamações, o que é considerado alto para uma empresa que, praticamente, monopoliza esse tipo de prestação de serviço no Estado.

Foram registradas 700 mil reclamações quanto aos serviços de energia elétrica em Mato Grosso, entre setembro de 2017 e agosto deste ano, de acordo com dados da Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos (Ager).

Um total de 580 mil reclamações foram por interrupção de energia e 24 mil por variação no valor do consumo de energia.

O servidor público Nilton Pereira Pinto contou que todos os meses existe acréscimo de 30% no calor da conta de energia, sem modificar a rotina. Ele alegou que sempre entra em contato com a concessionária de energia para registrar reclamação.

“Eu não sei de onde vem essa justificativa para todos os meses ter essa diferença de 20% a 30%, no valor da conta de energia que pagamos”, disse.

Em Mato Grosso, a responsabilidade da fiscalização da Energisa é realizada pela Ager, que também fiscaliza as interrupções no fornecimento e o faturamento, segundo o coordenador regulador de energia, Thiago Alves Bernardes.

“A equipe de fiscalização vai a campo e verifica se existe alguma inconformidade e constatando isso a empresa é notificada e tem a possibilidade de apresentar a defesa”, afirmou.

O coordenador explicou que a Energisa recebeu três autos de infração que somam R$ 6,5 milhões.



“Esses três autos de infração foram aplicados nos anos de 2016 e 2017, que somaram mais de R$ 6 milhões”, afirmou.

Por meio de nota, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou que o consumidor pode ajudar a fiscalização por meio de denúncias, no entanto, é necessário verificar dois fatores. Primeiro, se houve aumento do consumo nos últimos meses e, segundo, se houve uma alteração tarifária nos meses observados.

O diretor presidente da Energisa, Riberto José Barbanera, explicou que o reajuste das tarifas de energia é realizado apenas no mês de abril de cada ano. Ele contou que a empresa recebe por mês 35 mil ocorrências de problemas com a energia.

“Isso se deve a vários fatores, e principalmente por conta de árvores que muitas vezes tocam nas redes e derrubam a energia e não temos a autorização para fazer a pode dessa vegetação”, afirmou.

Por Renata Santos, TV Centro América

Deixe seu Comentário