Campo Grande - Mato Grosso do Sul, 20 de Outubro de 2019

Internacional

Embaixador britânico nos EUA demitiu-se devido a polémica com Trump

Expresso - Portugal
Foto: Divulgação / Assessoria aaaaajpg.jpg

O embaixador do Reino Unido em Washington demitiu-se esta quarta-feira, na sequência da polémica criada com Donald Trump a respeito de comentários feitos pelo diplomata em telegramas privados que acabaram por ser revelados na imprensa. Kim Darroch explica numa carta que a situação tornou impossível cumprir as suas funções. Nos telegramas chama “inepto”, “inseguro” e “disfuncional” ao inquilino da Casa Branca.
“Embora a minha colocação dure até ao final do ano, creio que nas atuais circunstâncias a atitude responsável é permitir a nomeação de um novo embaixador”, escreve Darroch na sua carta de demissão. O Presidente americano anunciara ontem na rede social Twitter que os Estados Unidos não voltariam a dialogar com o embaixador. Darroch foi mesmo impedido de participar numa reunião com a filha do Presidente, Ivanka Trump.
“Limitou-se a fazer o seu trabalho”, reagiu, em tom elogioso, Simon McDonald, alto funcionário do Ministério dos Negócios Estrangeiros, expressando “profunda tristeza” pela renúncia. Recorda que “a primeira-ministra, o ministro dos Negócios Estrangeiros e toda a administração pública estiveram ao seu lado”
Já ontem o ministro dos Negócios Estrangeiros britânico defendera Darroch, criticando o tom em que Trump reagiu às fugas de informação. Jeremy Hunt, também candidado a líder do Partido Conservador e primeiro-ministro, considerou “desrespeitodos e errados” os tweets do líder americano e prometeu manter Darroch no cargo em caso de vitória na disputa interna.
MAY DEFENDE DARROCH
O Presidente dos Estados Unidos chamou “estúpido” e “tonto pomposo” ao embaixador e qualificou de “desastre” e “tolice” a abordagem de Theresa May à saída da União Europeia, censurando-a sobretudo por não ter seguido os seus conselhos. Celebrou, ainda, o facto de o Reino Unido ir “ter um novo primeiro-ministro em breve”.
A reação do outro concorrente a esse lugar, Boris Johnson, contrastou com a de Hunt. Johnson não defendeu o diplomata, antes frisando a sua boa relação com Trump. Esta atitude foi implicitamente criticada por May, que sublinhou no debate semanal da Câmara dos Comuns, depois de conhecida a demissão de Darroch, a importância de defender princípios.
Hunt lembrara ontem, depois de Trump ter praticamente exigido a demissão do embaixador, que “quem nomeia os embaixadores britânicos é o Governo do Reino Unido”. Johnson não quis sequer dizer se manteria Darroch no cargo. Para a mulher que ambos aspiram a substituir, um bom funcionário público deve poder exprimir-se honestamente. A ainda primeira-ministra reconhece uma “dívida de gratidão” para com o diplomata.
O líder da oposição também elogiou o embaixador. “Creio que os comentários feitos sobre ele foram para lá de injustos e errados. Penso que prestou um serviço bom e honrado e devemos agradecer-lhe”.
PEDRO CORDEIRO
 

Deixe seu Comentário