Campo Grande - Mato Grosso do Sul, 15 de Outubro de 2019

Educação

Educação, reciclagem e museus são ações da Flip neste sábado

Agência Brasil
Foto: Divulgação / Assessoria httpariquemesonlinecombrimg364434geducacaojpg.jpg

As atividades começaram cedo hoje (13) na 17ª Festa Literária Internacional de Paraty, a partir das 9h30m, com a abertura da Tenda da Educação Diferenciada, uma criação do Coletivo de Apoio à Educação Diferenciada de Paraty. Durante o evento, professores, estudantes e lideranças comunitárias discutem a relação entre educação, literatura e diversidade cultural. A tenda ocupa o espaço montado pelo Coletivo Somar Economia Solidária.
Segundo Ronaldo dos Santos, quilombola que integra o Coletivo de Apoio à Educação Diferenciada de Paraty, “só a educação diferenciada pode reforçar a luta política das comunidades, a identidade cultural e a consciência coletiva pela defesa dos territórios e dos modos de vida tradicionais”.
Após a criação de um painel coletivo que pretende trabalhar o auto-reconhecimento da identidade cultural dos participantes, será realizada mesa redonda "Literatura e Diversidade - Constituindo singularidades, identidades e coletividades". O objetivo é avaliar a importância da literatura infantil no processo de constituição de identidades e respeito à diversidade.
Na parte da tarde, haverá lançamento de livros das crianças do Pouso da Cajaíba e da Praia do Sono.

As obras fazem parte do projeto “Uma outra história de Paraty” e foram escritas a partir de entrevistas com moradores locais para entender a história do município.
Museus
Promovida pela European Union National Institutes for Culture (Eunic), associação dos institutos culturais de países membros da União Europeia nos polos do Rio de Janeiro e São Paulo, em parceria com a Feira do Livro de Frankfurt, a Casa Europa realiza sua segunda edição na Flip, com uma série de debates sobre o futuro dos museus e as políticas de memória. Os debates ocorrerão na Igreja de Santa Rita de Cássia, construída em Paraty em 1722, que hoje abriga o Museu de Arte Sacra.
A programação da casa é totalmente gratuita e aberta ao público. São realizados encontros entre profissionais do campo da memória social da Europa e do Brasil, visando promover um debate público sobre saberes e fazeres, a partir do diálogo entre teorias e práticas acerca do futuro dos museus e o papel dessas instituições na atualidade.
Hoje (13), ocorrem ainda entrevistas com convidados oficiais da Flip, no anexo do museu, a partir das 12h. No mesmo local, entre 17h e 18h, ocorrerão sessões de autógrafos com as escritoras Grada Kilomba, de Portugal; Katja Petrowskaja, da Ucrânia; e Nina George, da Alemanha.

Edição: Maria Claudia

Deixe seu Comentário