Educação de MS ganha novo aliado para combater a exclusão escolar

Sharing is caring!

O reforço vem por meio do Tribunal de Contas e vai estar disponível em 2018 para prefeitos, secretários municipais de educação e planejamento de todo o Estado começarem o ano com um moderno aliado para a melhoria da gestão. Trata-se de uma plataforma gratuita, desenvolvida pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), para ajudar os municípios a combater a exclusão escolar, apresentada pela oficial de educação da Unicef, Júlia Ribeiro, no Plenário Conselheira Celina Martins Jallad em Campo Grande.

O diretor do TCE-MS, Eduardo dos Santos Dionizio, ressaltou a relevância do assunto e a contribuição do TCE na disseminação da plataforma. “Não é possível aceitar nos dias de hoje uma criança fora da escola. Desde 2015, com a atual gestão, presidida pelo conselheiro Waldir Neves, e compartilhada com os demais conselheiros, implementamos a premissa do trabalho preventivo e pedagógico, que prioriza a orientação ao invés da punição. Erros, às vezes, acontecem por falta de orientação e não por má fé ou dolo. O TCE-MS quer ser partícipe e ajudar na implementação de políticas que socializem o conhecimento. Por isso nosso chamamento para que todos conheçam essa plataforma de extrema importância para o setor da educação”.

 

A representante da Unicef, Júlia Ribeiro, disse que a intenção da plataforma é apoiar os governos na identificação, registro, controle e acompanhamento de crianças e adolescentes que estão fora da escola ou em risco de evasão. Por meio da Busca Ativa Escolar, municípios e estados terão dados concretos que possibilitarão planejar, desenvolver e implementar políticas públicas que contribuam para a inclusão escolar. Julia apresentou números que mostram que mais de 2 milhões de crianças e adolescentes no País estão fora da escola, segundos dados do censo de 2010. A região Centro Oeste é a segunda do País com maior índice de crianças de 4 a 5 anos fora da escola. Em Mato Grosso do Sul são quase 50 mil crianças, com idade de 4 a 17 anos, fora das salas de aulas.

A Busca Ativa Escolar reúne representantes de diferentes áreas – educação, saúde, assistência social, planejamento – dentro de uma mesma plataforma. Cada pessoa ou grupo tem um papel específico, que vai desde a identificação de uma criança ou adolescente fora da escola até a tomada das providências necessárias para a matrícula e a permanência do aluno na escola. Júlia explicou que todo o processo é feito pela internet e a ferramenta pode ser acessada em qualquer dispositivo como computadores de mesa, portáteis, tablets, celulares.

Para Júlia Ribeiro, “esses meninos e meninas  que estão fora da escola,  o estão por questões sociais, históricas e culturais. É a parcela mais pobre da população, que vive com até meio salário mínino, crianças que sofrem outros tipos de violações também. É preciso um time intersetorial no município para identificar e fazer com que essas crianças voltem à escola, tenham esse acesso garantido e tenham uma permanência com a aprendizagem”.

A plataforma foi desenvolvida pela Unicef em parceria com a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (undime), o Colegiado Nacional de Gestores Municipais de Assistência Social (Congemas) e o Instituto TIM.

 

Sobre a iniciativa ‘FORA DA Escola Não Pode!”

O “Fora da Escola Não Pode!  é uma iniciativa do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) para garantir que cada criança e adolescente esteja na escola e aprendendo. Desenvolvida por diversas frentes de atuação, a iniciativa procura conscientizar diferentes atores responsáveis pela inclusão escolar, e também a sociedade em geral, sobre o problema da exclusão escolar e sugerir planos práticos para chegar a uma solução.  A Busca Ativa Escolar é uma dessas estratégias.

 

Para saber como incluir o município na plataforma , o gestor deve acessar buscaativaescolar.org.br  ou ligar para 0800-729-2872

Tereré News

Editor - Tereré News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *