Campo Grande - Mato Grosso do Sul, 17 de Julho de 2019

Educação

Crianças se divertem no primeiro dia da Oficina de Férias da Biblioteca Isaias Paim

Governo do Mato Grosso do Sul
Foto: Governo do Mato Grosso do Sul Oficina de Férias da Biblioteca Isaias Paim

As crianças se encantaram, na manhã desta quarta-feira, 10 de junho, com as histórias do “Caco Meleca” e sobre o sabor da lua, que elas ouviram no primeiro dia da Oficina de Férias na Biblioteca Pública Dr. Isaias Paim. O contador de histórias Ciro Ferreira, graduado em Artes Cênicas pela Universidade Estadual de MS, ministrou a oficina e orientou as crianças na arte de brincar aprendendo.

“A ideia é trabalhar a brincadeira, utilizar brinquedos tradicionais confeccionados pelas próprias crianças, utilizando materiais recicláveis, e que eles possam levar para casa. É possível trabalhar com a reciclagem de forma bonita, para agregar valor para a criança, e mostrar que existem brinquedos bonitos feitos de reciclagem”.

A história do “Caco Meleca”, escrita pela jornalista Délia Frate, agradou as crianças. A Mikaela Rodrigues de Abreu, de nove anos, estudante do 5º ano do Ensino Fundamental, era só alegria. “Eu ri demais. Foi a história que eu mais gostei. Eu vou vir com a minha irmã nos três dias aqui”.

Sua irmã Natália, de oito anos, estudante do 3º ano, adorou os brinquedos da biblioteca. Ela participou da contação da segunda história, sobre o sabor da lua, e falou que para ela, a lua tem sabor de algodão doce. “Eu adoro algodão doce e arco-íris”. “O sabor da lua é o sabor daquilo que a gente gosta”, diz Ciro.

Cauã Oguido Macedo, de nove anos, estudante da 4ª série, participou das brincadeiras levado por sua avó, Inalda Medeiros Aguido. “Eu vi ontem a notícia das oficinas na televisão e trouxe meu neto. Fiquei feliz porque ele está interagindo. A escola dele pede livros pra gente comprar e ele lê em casa, mas é a primeira vez dele numa biblioteca”, diz Inalda. “O que eu mais gostei foi das atividades dos movimentos do circo. Eu brinco muito com aparelho eletrônico, aqui eu brinquei com o corpo. Quando eu estou entediado eu leio, me distraio”, diz Cauã.

 A coordenadora da Biblioteca, Eleuzina Crisanto de Lima, concorda que é importante trabalhar com as crianças as brincadeiras tradicionais. “No mundo de hoje as tecnologias cada vez mais ganham força, e os livros e as brincadeiras ficam cada vez mais distantes dos corpos infantis. Pensamos a biblioteca como um lugar em que devemos ter o cuidado, isso se aplica à afetividade, formação de identidade, desenvolvimento da criatividade, capacidade de ouvir o outro. Além disso, com a leitura e as diversas linguagens do saber que propomos na Biblioteca, faz-se mais que obrigatória a leitura, para que  todas as formas do saber aproximem esses corpos que estão em processo de formação, propiciando contribuir para a democratização de nossos bens culturais, bem como incentivar a escrita”, explica a coordenadora da Biblioteca, Eleuzina Crisanto de Lima.

O Projeto férias na biblioteca é um projeto infantil que visa atender o calendário da educação, no momento em que as crianças se encontram em férias letivas. Que busca promover a interação social e cultural durante esse período, incentivando e estímulo o conhecimento e integrando as linguagens: Literatura, brincadeiras lúdicas, música, arte entre outras. 

As atividades continuam nesta quinta-feira, 11 de julho, das 8h30 às 11h30, com a contação de lendas e causos brasileiros, também com Ciro Ferreira. Serão montados brinquedos como corda, elástico brincante e será iniciada a montagem do “painel do Manoel” (as crianças vão montar um painel com frases, poesias e reproduções de ilustrações dos livros de Manoel de Barros). Logo depois será ministrada a Oficina de Origami com Dayane Afonso, acadêmica do curso de Letras da UFMS.

Na sexta-feira, 12 de julho, das 8h30 às 11h30, será a vez do momento autoral, com contação de histórias escritas por Ciro Ferreira. As crianças continuam depois com a montagem do Painel do Manoel, participam de brincadeiras de pátio, bola de sabão gigante, cordas e elásticos cantados. Depois será a vez de Mariana de Castro orientar a contação de histórias e a brincadeira de Boi. Mariana é acadêmica de Artes Cênicas da UEMS e estagiária da Biblioteca, e explica que no Brasil existem mais de 300 grupos de bois. “São manifestações populares que acontecem em vários lugares e se tornam tradição porque são passadas oralmente de geração em geração. Na manifestação popular é muito importante a alegria, as manifestações populares têm isso, é o sangue pulsando. Valorizar nossa cultura brasileira é muito importante”.

As crianças que desejarem participar podem comparecer no momento das atividades. Ainda há vagas. O Projeto acontece há mais de cinco anos e já faz parte do calendário educativo da Biblioteca, que que fica no 2º andar do Memorial da Cultura e Cidadania (Avenida Fernando Correa da Costa, 559). Mais informações pelo telefone (67) 3316-9161.

Karina Medeiros de Lima – Fundação de Cultura MS- (FCMS)

Fotos: Ricardo Gomes

Deixe seu Comentário