Corrupção: Deputados estaduais aprovam comissão para investigar Azambuja

Sharing is caring!

Os deputados estaduais da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (ALMS) receberam na manhã desta terça-feira (23/5), na sala da Presidência, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), que pediu uma reunião para apresentar sua defesa quanto às denúncias de suposto pagamento de propina e emissão de notas frias feitas pelos irmãos Joesley e Wesley Batista donos da empresa JBS em delação premiada.

Segundo o presidente da ALMS, deputado Junior Mochi (PMDB), o governador trouxe documentação de todos os itens delatados e deixou a Assembleia “à vontade para tomar providências necessárias para exercer seu papel fiscalizador”. Além disso, Mochi disse que Azambuja se colocou à disposição para “fazer as justificativas que os deputados acharem necessárias”.

“Três pedidos de investigação foram protocolados na Assembleia Legislativa e todas pedem apuração dos possíveis crimes de responsabilidade do governador com base nas delações da JBS, que são fatos de conhecimento público e que essa Casa [de Leis] não poderá se furtar de investigar”, afirmou Mochi.

Comissão Especial
Em sessão ordinária desta terça-feira, o deputado Pedro Kemp, em nome da Bancada do PT, apresentou um requerimento pedindo a criação de uma Comissão Especial para apurar a “atribuição ao chefe do Executivo Estadual a concessão de benefícios fiscais em troca de possível recebimento de propina, na quantia de R$ 45.631.696,03, que caracteriza conduta atentatória a probidade administrativa”.

O requerimento foi aprovado em votação simbólica durante a Ordem do Dia e o presidente Junior Mochi explicou que, criada a Comissão, os líderes das bancadas partidárias irão indicar os respectivos membros, que farão apuração das denúncias e emitirão relatório a ser aprovado em plenário.

“Os membros da Comissão devem eleger presidente e relator já na primeira reunião. Quero deixar claro que vamos nos basear no Regimento Interno e na Lei 1079 [de 10 de abril de 1950] e que a questão não é política. Teremos a maturidade, sensibilidade e sensatez para apurar os fatos e emitir os devidos julgamentos”, ressaltou o presidente.

AL/MS

Deixe o seu comentário

Tereré News

Editor - Tereré News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.