Campo Grande - Mato Grosso do Sul, 17 de Junho de 2019

Manchete dos Jornais

Confira as Manchetes dos Jornais deste domingo (09)

EBC
Foto: Divulgação / Assessoria manchetejpg.jpg

09 de junho de 2019
O Globo
Manchete: Apesar de lucro recorde, Cedae tem serviços e estações sucateados
Número de queixas não solucionadas de clientes salta de 7 mil para 30 mil
Responsável pelo atendimento a 12 milhões de pessoas em 64 cidades do Rio, a Cedae lucrou R$ 832 milhões em 2018. Mesmo com resultado histórico e tarifa reajustada em 12,3%, os serviços estão sucateados, relata SELMA SCHMIDT. Nas estações de tratamento de água e de esgoto, existem máquinas inoperantes há anos. As reclamações saltaram de sete mil para 30 mil. Na capital, O GLOBO encontrou relatos de problemas em diversos bairros. A empresa, cuja privatização está prevista em acordo com o governo federal, diz que vai investir R$ 200 milhões. (PÁGINA 12)
Empresários formam grupo para influenciar pauta do Congresso
O grupo Brasil 200 se descola de entidades tradicionais, sonha em eleger prefeitos e presidente e já tem frente com 209 parlamentares, informa HENRIQUE GOMES BATISTA. As áreas tributária e de segurança estão entre as prioritárias para o grupo, liberal em economia e conservador nos costumes. (PÁGINA 4)
Mercado deixa de lado trabalhador com mais de 50
Apenas 16,6% dos 46 milhões de trabalhadores com carteira assinada do Brasil têm entre 50 e 64 anos, fatia que cai a 9,7% no comércio e a 12,6% na indústria, os principais setores empregadores. Idade mínima de 65 anos para aposentadoria eleva o desafio de inclusão no mercado. (PÁGINA 23)
Espelho da alma
Três anos após afirmar à família que não era menino, Bruna tem, aos 8, nova certidão de nascimento. Seus pais relatam a saga jurídica e emocional para lidar com a incongruência de gênero na infância. (PÁGINA 31)
Mensagens mostram ajuda de PM da Zona Oeste a milicianos
Batalhão da PM em Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio, é investigado por suspeita de acobertar atividades de milicianos. (PÁGINA 13)
Colunistas
ELIO GASPARI
Onipotência da toga leva à vitimização de Lula (PÁGINA 10)
ASCÂNIO SELEME
Uma galeria dos ministros mais esquisitos (PÁGINA 11)
LAURO JARDIM
Gasto com diárias de viagens de senadores dispara (PÁGINA 8)
DORRIT HARAZIM
O Brasil na contramão na questão ambiental (PÁGINA 3)
MÍRIAM LEITÃO
A soma de erros que quebrou a Odebrecht (PÁGINA 24)
MERVAL PEREIRA
O papel do advogado na democracia (PÁGINA 2)
ANCELMO GOIS
Venda em domicílio emprega 190 mil idosos no país (PÁGINA 16)
------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo
Manchete: Em 1 a cada 3 votações na Câmara, governo evita tomar posição
O número foi compilado pelo Basômetro, ferramenta do ‘Estado’ relançada hoje
O governo Bolsonaro liberou a base aliada na Câmara para votar por conta própria em 31% das votações. O número é o maior desde 2003, primeiro ano da base de dados compilada pelo Basômetro. Relançada hoje em novo formato, a ferramenta do Estado mede o governismo de partidos e deputados. A ingerência menor do Executivo indica que ou as propostas não eram de interesse do Planalto ou que o governo não interferiu temendo derrota. Nos cinco meses iniciais de Lula, no primeiro e no segundo mandatos, apenas 11% e 13% das votações, respectivamente, não tiveram orientação do governo. Nas gestões Dilma, as taxas foram de 23% e 27%. Com Temer não houve interferência em 20% das votações. (POLÍTICA / PÁG. A4)
Tradição, família e Bolsonaro
Adolpho Lindenberg e d. Bertrand na sede do Instituto Plínio Corrêa de Oliveira, em SP. O grupo, herdeiro da TFP, apoia as batalhas conservadoras travadas nos Ministérios da Mulher e do Meio Ambiente, mas rejeita polêmicas de Olavo de Carvalho e a indicação de um evangélico para o STF. (POLÍTICA / PÁG. A10)
Caso Queiroz faz 6 meses e ameaça família Bolsonaro
Revelada pelo Estado, investigação sobre movimentação financeira de assessor de Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) atinge gabinetes de outros membros da família. (POLÍTICA / PÁG. A12)
Procura por graduação no exterior é recorde
Pouco mais de 50 mil alunos brasileiros foram fazer graduação no exterior em 2018 – 37,7% mais do que em 2017. Tendência é de aumento neste ano. (METRÓPOLE / PÁG. A22)
Explosão em barco fere pelo menos 15 no Acre (METRÓPOLE / PÁG. A24)
Colunistas
Pedro S. Malan 
Neste primeiro dos invernos do governo Bolsonaro, o Brasil não tem alternativa senão continuar a tentar. (ESPAÇO ABERTO / PÁG. A2)
Vera Magalhães 
É preciso que alguém convença o presidente de que não se governa um país na base do achismo, sem base concreta. (POLÍTICA / PÁG. A10)
Notas&Informações
Reação oportuna
O Senado deu pronta resposta à necessidade de uma nova legislação para o saneamento básico. Cabe à Câmara ser igualmente diligente. Água tratada e esgoto coletado são fundamentais. (PÁG. A3)
Projeto irresponsável 
A “indústria da multa” deve ser combatida com punição aos maus administradores. (PÁG. A3)
------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo
Manchete: Justiça condena Universal por esterilização de pastores
Acusadores se dizem pressionados a não ter filhos; igreja nega e vê revés em tribunais como exceção
A Igreja Universal do Reino de Deus responde a processos de ex-pastores que afirmam ter sido forçados ou pressionados a fazer vasectomia para permanecer ou ascender na instituição. Segundo eles, não ter filhos implicaria mais facilidade de mudar para templos em outras cidades. Em um dos casos, a Justiça fixou pagamento de R$ 115 mil por danos morais a um ex-membro. Um dos pastores que entraram com ação judicial declara ter saído porque era humilhado. “Chegaram a marcar reuniões com minha filha e dizer que o pai não crescia na igreja por causa dela.” A Universal nega as acusações e afirma que tem obtido vitória na maioria das causas trabalhistas movidas pelos religiosos — as condenações mais recentes são tratadas como exceções. Nota enviada à Folha diz haver mais de 3.000 filhos de membros do corpo eclesiástico em todos os níveis da hierarquia. A igreja afirma que “estimula o planejamento familiar”. (Mercado A17 e A18)
Disputas estaduais no PSL têm rixas públicas e até socos
Partido do presidente Jair Bolsonaro (PSL) vive racha nos diretórios de ao menos seis estados. No Rio Grande do Sul, uma reunião terminou com insultos e agressões mútuas. (Poder A4)
Elio Gaspari
O ministro Moro está na frigideira 
Entrou nela porque Bolsonaro acredita que ele é candidato a presidente. O ministro acha que sua esperteza é tamanha que pode ser contra e a favor de medidas do Planalto. (Poder A12)
Editoriais
Não há substituto 
Acerca de papel do presidente na agenda nacional. 
Sem concursos 
Sobre intenção de reduzir o funcionalismo federal. (Opinião A2)
------------------------------------------------------------------------------------

Deixe seu Comentário