Campo Grande/MS, 16 de Janeiro de 2019

Polícia

Comparsa de Pavão é executado a tiros em Pedro Juan Caballero

ABC Color - Cándido Figueredo Ruiz
Foto: ABC Color Imagem de ilustração
Imagem de ilustração

Um dos últimos comparsas de Jarvis Chimenes Pavão, o encarregado de coordenar os voos do narcotráfico com os pilotos, foi morto a tiros na frente de sua casa em Pedro Juan Caballero. Câmeras de segurança filmaram o ataque mortal.

Trata-se de Gustavo Alvarenga Cardozo (45 anos), que morava em Teresa Roa quase no Brasil, o bairro Virgen de Caacupé desta cidade. O homem foi atingido por vários tiros e auxiliado por um grupo de vizinhos, que o encaminharam a um centro de saúde particular, onde sua morte foi confirmada.

Enquanto os médicos tentaram em vão reanimá Alvarenga em uma das salas de emergência do hospital, três homens armados que estavam a bordo de um veículo estacionado na calçada na frente, eles foram detidos pela polícia.

Os suspeitos foram identificados como Mario Dionisio Ibarra Torres, que tinha 40 mm. Arnaldo Jeremías Ramón Martins Recalde, que carregava uma pistola de calibre 9mm; e Gandhi Jacob Kabas Costa, com uma pistola de 9 mm. Ninguém poderia dizer se esses três responderam à vítima e estavam guardando um segundo ataque desde a primeira Alvarenga havia revelado que tinha sobrevivido ao ataque, ou então realmente esperando o momento para terminar o administrador.

Segundo os investigadores, pouco depois das 9h, a vítima e sua esposa estavam prestes a deixar sua residência a bordo de um caminhão cinza da Mercedes-Benz. Quando Alvarenga foi colocado no comando da estrada e enquanto espera por seu parceiro embarcou no veículo apareceu em cena um homem alto e esguio com um capacete a bordo de uma motocicleta sem placas e pacificamente parou a marcha no lado esquerdo da caminhão e estofado uma pistola de calibre 40 mm, que assentou e perfurou a vítima.

De acordo com vizinhos, o atirador esvaziado a revista e, em seguida, salvou novamente a arma em um pequeno saco na cintura e correu lentamente do local, uma vez que perdeu alguns segundos porque o motor de sua moto parou e dar novamente teve que bota

Os investigadores apontaram que Alvarenga foi o último administrador do narco Pavão, atualmente preso em uma prisão no Brasil.

Alias ​​"Comandante"

Alvarenga foi, segundo os dados, quem organizou os vôos com o carregamento de narcóticos para o Brasil, para o qual ele contratou os pilotos. Por esta razão, ele era conhecido no ambiente com o pseudônimo de "Comandante".

Lembre-se que Laura Casuso advogado, advogado e administrador dos bens do mesmo chefe da máfia, foi morto em um ataque a tiros registrado na cidade de Pedro Juan Caballero, na terça-feira 04 de dezembro de 2018.

Deixe seu Comentário