Campo Grande - Mato Grosso do Sul, 22 de Abril de 2019

Campo Grande

Combate a dengue: mutirão de limpeza acontece neste fim de semana no Guanandi

Assessoria de Comunicação
Foto: Prefeitura Municipal de Campo Grande/MS Ação de combate ao mosquito Aedes aegypti – transmissor da dengue, zika e chikungunya
Ação de combate ao mosquito Aedes aegypti – transmissor da dengue, zika e chikungunya

O próximo mutirão de limpeza para eliminar focos do mosquito transmissor da dengue, zika e chicungunha acontece na região do Bairro Guanandi neste fim de semana (23 e 24). Com efetivo de 70 agentes de combate de endemias (ACE) o objetivo é vistoriar 3 mil imóveis e destinar corretamente materiais inservíveis que possam acumular água.

O bairro faz parte da estratégia de intensificação da Coordenadoria de Controle de Endemias Vetoriais (CCEV) para ampliar as ações de prevenção e combate ao mosquito e diminuir os casos das doenças na população. No Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) de janeiro, a região do Guanandi era considerada local de risco apresentando Índice de Infestação Predial (IPP) de 5,6% dos imóveis vistoriados com focos e larvas.

Outros bairros da Capital já foram alvo de ações semelhantes. Na região da Moreninhas e Centro-Oeste os resultados foram positivos, com redução da presença de focos em mais de 60%.

Casos

Segundo o Boletim Epidemiológico da Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS) desta sexta-feira (22), somam 12.991 notificações de dengue em Campo Grande. A quantidade de casos registrados este ano é inferior às 28,5 mil notificações na última epidemia da doença em 2016.

Para o secretário de Saúde Marcelo Vilela, a população também deve colaborar eliminando qualquer recipiente que possa acumular água e servir de criadouro do mosquito, além de limpar calhas de telhados, limpar e tampar ralos não utilizados e caixas d’água.

“O poder público está fazendo a parte dele, mas contamos com a colaboração de todos nesta luta contra o Aedes. Estamos intensificando as ações, colocando o máximo de contingente possível nas ruas para eliminar os materiais inservíveis que possam acumular água e a população pode contribuir”, afirmou Vilela.

Deixe seu Comentário