Campo Grande - Mato Grosso do Sul, 23 de Setembro de 2019

Campo Grande

Com foco no acolhimento, Valorização da Vida reúne parceiros e leva palestras para profissionais e comunidade

Prefeitura Municipal de Campo Grande/MS
Foto: Prefeitura Municipal de Campo Grande/MS Palestras para profissionais e comunidade

Iniciativa inédita da prefeitura de Campo Grande, o projeto Valorização da Vida, criado pela equipe da Superintendência de Gestão e Normas da Rede Municipal de Ensino (Reme) está realizando um ciclo de palestras nesta quarta (21) e quinta-feira (22), aberto a comunidade escolar e profissionais da Educação.

Durante a abertura do evento nesta manhã no Clube de Campo da Associação Nipo Brasileira de Campo Grande, o prefeito Marquinho Trad, ressaltou a importância de proporcionar o acolhimento entre os alunos da Reme. “Essas ações que vocês vêm realizando, de igualdade, compreensão e comunicação, são fundamentais para combater a depressão porque permite que esses alunos sejam incluídos no grupo. A depressão não é uma frescura como algumas pessoas ainda pensam. É uma doença grave e sei que vocês estão fazendo o possível para ajudar essas crianças”, afirmou.

A secretária municipal de Educação, Elza Fernandes, pontuou que os dois dias de evento serão de grande relevância para os profissionais da Educação. “Unimos forças para realizar capacitações que acontecem desde o ano passado para podermos amenizar essa dor dos alunos, pois a depressão é um problema que pode acontecer dentro de nossas casas e quando um jovem confia em um professor para relatar seus problemas, ele está pedindo socorro e precisa ser ouvido”, disse.

A superintendente de Gestão e Normas da Reme, Alelis Izabel de Oliveira Gomes, agradeceu aos parceiros que somaram forças junto à Semed na execução do projeto. “Ele só acontece devido a dedicação de todos porque não é fácil encontrar um jovem com depressão ou que tenha se automutilado, mas são nesses casos que encontramos forças para seguir com nosso trabalho e com ele estamos conseguindo salvar muitas vidas, pois nossa equipe não descansa”, pontuou.

Palestras e parceiros

A importância de acolher as crianças e adolescentes é um dos principais focos das palestras que serão ministradas nestes dois dias, mas que também irão discutir temas que vão desde automutilação no contexto escolar, fatores de risco da depressão na adolescência até explanações sobre programas antidrogas que são desenvolvidos nas escolas.

No local do evento os visitantes também estão recebendo informações nos 15 estandes montados pelos parceiros, que variam desde universidades, polícias, Conselho Tutelar até concessionárias de serviços públicos. Neles, a comunidade está sendo orientada  sobre serviços oferecidos nas áreas de saúde, social e até beleza.

O 1º tenente Robson Luiz Pinheiro, do 9º Batalhão de Comunicações e Guerra Eletrônica do Exército, acredita que  o projeto vai de encontro ao projeto Viver, desenvolvido na unidade militar, onde os soldados que ingressam recebem palestras, algumas ministradas por técnicos da Semed, sobre bullying, cyberbullying e prevenção ao uso de drogas.

“Nossos alunos serão os solados de amanhã, por isso o Valorização da Vida é importante porque nossa sociedade precisa de projetos que complementem a educação”, destacou.

Dados e avanços

A preocupação com o aumento nos índices de depressão e automutilação entre os alunos levou à criação do projeto em 2018, levando a Reme a ser pioneira no desenvolvimento de uma ação que busca levar os adolescentes a reflexão e a resgatar os laços familiares por meio de atividades pedagógicas que estimulam o convício social.

O projeto começou a ser implantando por meio de capacitações e palestras oferecidas aos técnicos e professores da Reme, com foco no fortalecimento da autoestima e solidificação de valores que sustentam o desenvolvimento psicossocial e contribuem para a promoção da resolução de conflitos cotidianos vivenciados pelas crianças e adolescentes das unidades da Rede Municipal de Ensino.

A aluna da Escola Agrícola “Arnaldo Estevão de Figueiredo”, Luana Bogado, 17, contou que ela costumava se manter isolada dos colegas e depois de ouvir as palestras do projeto, mudou sua visão de mundo. “Faltava conexão e comunicação entre os próprios alunos da escola e esse projeto alavancou um sentimento de união na sala”, afirmou.

Desde o ano passado, 1.583 profissionais foram capacitados e 7.300 alunos já foram atendidos. O processo de intervenção acontece de acordo com a demanda da unidade escolar, que solicita o apoio da equipe de psicólogas quando observa casos de depressão ou automutilação entre os alunos.

A equipe é composta por quatro técnicas da Semed, com formação em Pedagogia e Psicologia. Os bons resultados conquistados nesse período de um ano atraiu a atenção de gestores do interior do Estado, que passaram a convidar a equipe para ministrar palestras, aplicar dinâmicas e falar sobre o projeto com o objetivo de atualizar os profissionais da Educação sobre os temas que levam os adolescentes a depressão. Ao todo, 740 servidores de municípios do interior receberam a formação.

Também marcaram presença no evento a secretária-adjunta, Soraia Campos, além de superintendentes, técnicos e profissionais da Reme.

Deixe seu Comentário