Campo Grande - Mato Grosso do Sul, 16 de Julho de 2019

Turismo e gastronomia

Cleir apresenta obra que contempla cultura e fauna do cerrado de MS em Bataguassu

Assessoria de Comunicação
Foto: Divulgação Artista plástico retoma atividades com novos projetos também para Campo Grande.

Expressando seu amor pela fauna e cerrado sul-mato-grossense, o artista plástico Cleir assina mais uma obra em Mato Grosso do Sul. Desta vez, o município contemplado é Bataguassu – distante 330 km da Capital.

 O Museu de Bataguassu tem o objetivo de preservar a memória do município que conta com cerca de 22 mil habitantes.

 Para esta obra, Cleir confeccionou duas garças, um tamanduá-bandeira e cupinzeiros, por serem representantes da fauna do cerrado. Duas estradas de boiadeiro e um carro de boi, elementos característicos da história e fundação de Bataguassu também estão retratados no local. 

O projeto foi desenvolvido em parceria com o arquiteto Johny Medeiros, com quem Cleir já desenvolveu outros trabalhos, como a Praça da Liberdade, em Bonito, onde o artista confeccionou a famosa escultura das piraputangas.

As esculturas de Bataguassu foram feitas em argamassa armada e concreto, as obras retratam a grandiosidade da fauna regional. O tamanduá conta com 2,70 m de comprimento, já as garças brancas têm 2mX1,80m (a de asas abertas) e 2mX0,60m a ave sobre um toco também esculpido pelo artista plástico. A estrada de chão conta com 15mX2m e há ainda detalhes como trilheiros e grama e o cupinzeiro ao lado do tamanduá foi revestido por lâmpadas de LED, que quando aceso à noite, representa as larvas que alimentam o animal.

 “Fui procurado pela Prefeitura e Secretaria de Educação da cidade para fazer um trabalho que remetesse ao cerrado e contasse a história da chegada dos boiadeiros, dos desbravadores que abriram caminho para chegar ao município, foi quando surgiu a ideia de criar esta obra dividida em duas praças, fazendo então uma moldura ao museu de Bataguassu”, conta Cleir que destaca ainda que o objetivo foi fazer com que tudo parecesse muito natural, realmente recordando a história.

 Segundo a secretária de Educação e Cultura, Regina Duarte de Barros Dovale, a obra resgata e preserva a memória da cidade e Cleir representa a paixão por MS através de suas obras sempre dedicadas à disseminação da natureza regional.

 “Cleir é respeitado por seu trabalho e retrata com amor as belezas de Mato Grosso do Sul. Em 2007 ele contemplou a cidade com outra obra, o Monumento dos Tucunarés, localizado na praça Jan Antonin Bata. Com 4,5 metros de comprimento cada, eles representam a tradição do município conhecido como o reduto da espécie. E é muito admirado por todos”, avalia a secretária.

 O prefeito da cidade, Pedro Arlei Caravina destaca a confiança em Cleir para criar esta importante obra para a cidade.

 “Cleir foi convidado a desenvolver o projeto por ter um serviço de referência. Após o monumento dos tucunarés, o profissional foi novamente contratado para executar essas outras obras”, destaca Caravina.

 Segundo informações da assessoria de imprensa da Prefeitura do município, a implantação do Museu de Bataguassu é fruto de um convênio firmado entre Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Educação e Cultura (Semec), Núcleo Municipal de Cultura e Governo do Estado, por meio do Fundo de Investimentos Culturais de Mato Grosso do Sul (FIC-MS), Fundação de Cultura e Secretaria de Estado de Cultura e Cidadania.

Previsto para inaugurar em junho de 2019, o espaço cultural funcionará na rua Ribas do Rio Pardo, 376, centro, no imóvel construído na década de 1970, especialmente para utilização em ensino público.

No plano de implantação consta a realização de exposições permanentes e temporárias; estudos, pesquisas além de oficinas que compõem um projeto de educação patrimonial voltado para as escolas locais.

Em breve, Cleir apresentará novos projetos no qual está à frente. Entre eles, restauração de painéis em Campo Grande e obras na Capital e interior, todas com foco na cultura e biodiversidade de Mato Grosso do Sul.

Deixe seu Comentário