Campo Grande/MS, 19 de Setembro de 2018

Campo Grande

Campo Grade terá Controle de Transporte de Resíduos (CTR) para combater descarte irregular

Prefeitura Municipal de Campo Grande/MS
Foto: Prefeitura Municipal de Campo Grande/MS Campo Grade terá Controle de Transporte de Resíduos (CTR) para combater descarte irregular
Campo Grade terá Controle de Transporte de Resíduos (CTR) para combater descarte irregular

Campo Grande hoje avança numa importante frente de combate ao descarte irregular de resíduos com a assinatura entre Município e iniciativa privada, para a implantação do Controle de Transporte de Resíduos (CTR) no formato eletrônico, com o objetivo de agilizar a troca de informações entre Poder Público e as empresas que prestam serviços de coleta e transporte de resíduos da construção civil e, também, o rastreamento de entulho para combater o descarte irregular.

IMG_8102O prefeito Marquinhos Trad destacou a importância dessa implantação que impactará tanto para a preservação ambiental quanto nas questões de saúde pública “Sabemos que o descarte irregular é um problema que assola todas as cidades que gera impacto tanto ambiental quanto de saúde pública. Desta forma, desde o início da nossa administração estamos trabalhando na busca de soluções eficientes e hoje estamos iniciando os trabalhos de gestão e monitoramento desses resíduos juntamente com o apoio das empresas diretamente ligados ao setor para o enfrentamento dessas questões”.

O secretário municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana, Luís Eduardo Costa, explanou dados relacionados ao setor e enfatizou a relevância da parceria “Iremos realizar a implantação de um sistema totalmente informatizado, com uma sala de situação na Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana (Semadur), na Agência Municipal de Tecnologia da Informação e Inovação (Agetec) um painel georreferênciado para a gestão dos resíduos da construção e onde a fiscalização de rua receberá smartphones para atuar em tempo real. Este será um grande marco para o setor, pois desde o início da gestão estudávamos possíveis ações e agora com a implantação do CTR eletrônico realizaremos o monitoramento de todo o trajeto dos resíduos, desde sua origem até o descarte ambientalmente correto. Estimamos que até setembro iniciaremos efetivamente todo o controle”.IMG_8056

O secretário também expôs que para a implementação do sistema não haverá custo para o município pois as empresas que assinaram o Termo de Cooperação irão fornecer os instrumentos necessários para a implantação do CTR em formato eletrônico.

80% dos municípios brasileiros não conseguem tratar adequadamente seus resíduos. Hoje em Campo Grande são descartados cerca de 5 mil toneladas/mês de resíduos da construção e a partir da implantação do controle de resíduos estima-se que 45 mil toneladas/mês serão descartadas em locais/empresas devidamente licenciados. Por ano no Brasil são descartados 100 milhões de toneladas, o equivalente a sete mil prédios de 10 andares em resíduos da construção.

Para Milton Souto de Araújo Neto e Rodolfo Aziz, sócios-proprietários da Empresa Ambiental Solutions, a implementação do CTR eletrônico era uma necessidade pelo porte de Campo Grande e pela geração dos resíduos o desenvolvimento desse sistema, do monitoramente e assim inibir o descarte clandestino que resultará inclusive em benefício para a saúde pública.

O diretor-presidente da Agência Municipal de Transporte e Trânsito, Janine de Lima Bruno, apontou algumas etapas desse avanço “O trabalho teve início assim que assumimos a gestão, houve a modernização da legislação, um trabalho enorme por parte das secretarias, o empresariado se organizou buscando minimizar o descarte irregular e que hoje visa a busca da solução para essa problemática que era o descarte clandestino”.IMG_8144

O empresário Anagildes Caetano de Oliveira, da empresa Progemix Resilix Reciclagem do Brasil, também participou da assinatura do Termo de Cooperação e pontuou sobre o aumento do descarte regular “Estou na área há 20 anos e existe uma preocupação do nosso grupo com relação, não somente ao descarte, como também ao reaproveitamento desse material após sua reciclagem. Estimamos um aumento de no mínimo três vezes mais na recepção desses resíduos para as empresas e desta forma poderemos oferecer também materiais com valores mais acessíveis ao mercado”.

Assinaram o Termo de Cooperação as empresas CG Engenharia Ambiental LTDA, Ambiental Solutions EPP e Progemix Resilix Reciclagem do Brasil LTDA.

Durante o ato também estavam presentes o secretário municipal de Governo e Relações Institucionais, Antônio Cézar Lacerda Alves, o diretor-presidente da Agetec, Paulo Fernando Garcia Cardoso, diretora-executiva de Comunicação Social, Lidiane Kober e representantes dos caçambeiros.

Sobre CTR

O documento é exigido dos operadores que exploram a coleta e o transporte de resíduos da construção civil, com a finalidade de comprovar a correta destinação deste material.

O novo sistema visa o controle da destinação dos Resíduos da Construção Civil (RCC) permitindo o rastreamento desde o gerador até a unidade de destinação. O transportador precisa portar o CTR eletrônico, obrigatoriamente, toda vez que coleta, transporta e destina o RCC em uma área (aterros, ATT’s e áreas de reciclagem).

Outro benefício é a maior agilidade na emissão do CTR. Com senha web, o documento poderá ser feito em qualquer lugar. O transportador acessará o sistema online com o registro referente ao seu cadastro e preenche o CTR eletrônico com todas as informações referentes ao gerador e à unidade de destinação antes da colocação da caçamba no gerador e/ou transporte de RCC. Os CTRs eletrônicos serão baixados imediatamente, via internet, pelas áreas de destinação no ato da descarga. Os CTRs não baixados serão bloqueados e o transportador estará sujeito às sanções previstas nas leis.

Além disso, o CTR eletrônico vai municiar a fiscalização municipal e possibilitar ao gerador a verificação quanto à destinação do resíduo.

Foto: Diogo Gonçalves

Deixe seu Comentário