Campo Grande/MS, 15 de Agosto de 2018

Destaques

Campanha de vacinação contra a Gripe foi prorrogada em Campo Grande

Redação TerereNews
Foto: vacinapmcg vacinapmcg
vacinapmcg

A campanha nacional de vacinação contra a Gripe, prevista para terminar nesta sexta-feira, 26, foi prorrogada até dia 9 de junho, por recomendação do Ministério da Saúde. O comunicado foi encaminhado nesta quinta-feira (25) aos estados e municípios que eventualmente não atingiram a meta de imunizar ao menos 90% do público-alvo.

Na Capital, conforme último balanço divulgado no dia 19 de maio, pouco mais de 104 mil pessoas haviam sido imunizadas e mais de 93 mil ainda precisavam tomar as doses. A população do grupo de risco corresponde a 197.737 pessoas.

A expectativa é de que um novo balanço seja divulgado nesta sexta-feira, 26. Entretanto, a previsão é de que a cobertura vacinal tenha atingido pouco mais de 70%.

No município, a vacina segue disponível de segunda a sexta-feira em todas as unidades básicas de saúde (UBS) e de saúde da família (UBSF) das 7h30 às 11h e das 13h às 17h e aos sábados e domingos em cinco unidades: CRS Nova Bahia, CRS Tirandentes, CRS Coophavilla, CRS Aero Rancho e UBS Coronel Antonino.

Conforme o comunicado do Ministério da Saúde,  a vacinação segue nas cidades onde a meta não foi atingida e cada município definirá a data de encerramento da ação.

Quem deve se vacinar?

O Ministério da Saúde recomenda a vacinação para indivíduos com 60 anos ou mais de idade, crianças na faixa etária de 6 meses a menores de cinco anos, as gestantes, as puérperas, os trabalhadores de saúde, os povos indígenas, os grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, os adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, a população privada de liberdade, os funcionários do sistema prisional e professores (público ou privado) do ensino básico, médio e superior.

O que é preciso para se vacinar?

Para receber a dose, todos devem apresentar o Cartão Nacional de Saúde (CNS) e/ou número prontuário da rede de saúde de Campo Grande (Hygia); documento pessoal de identificação; e, a caderneta de vacinação (caso tenha).

Além dos documentos exigidos para todos, os profissionais de saúde devem apresentar a carteira do conselho ou holerite; as gestantes e puérperas: cartão da gestante, laudo médico ou exames com identificação; e os indígenas: cadastro na SESAI.

Já os professores devem apresentar um holerite e os documentos obrigatórios para todos do grupo de risco. Os portadores de doenças crônicas precisam apresentar e deixar nas unidades de vacinação, cópia do laudo indicando a doença ou uma receita, ambos com carimbo e assinatura do médico.

Deixe seu Comentário