Campo Grande - Mato Grosso do Sul, 16 de Outubro de 2019

Internacional

Bruxelas ovaciona comandante de navio humanitário

Euro News
Foto: Divulgação / Assessoria bruxelasjpg.jpg

Uma ação que representa o desafiar do sistema de migração da Europa. Uma capitã salva vidas do mar, apesar de estar informada que está a infringir a lei.
A comandante do navio humanitário Sea Watch 3, Carola Rackete, disse ao Parlamento Europeu, em Bruxelas, que a Europa tem de fazer mais, muito mais.
"Temos que ver isto realmente como um problema europeu que precisa de uma solução europeia. É uma questão sistemática que, neste momento, estamos a enfrentar na União Europeia," afirmou a comandante do navio Sea Watch 3, Carola Rackete.
Pela sua coragem, a capitã recebeu uma rara ovação, de pé, da Comissão do Interior, Justiça e Liberdades Civis (LIBE) do Parlamento Europeu. Mas foi atacada por membros da extrema-direita e anti-imigração.
Carola Rackete chamou a atenção internacional quando foi presa em Lampedusa, Itália, depois de se recusar a levar refugiados, resgatados no mar, de volta à Líbia, por temer pela segurança destes.
Tripulação e refugiados ficaram presos no mar durante 14 dias. Os portos italianos tinham ordens para não deixarem atracar o Sea Watch. Mas, mesmo assim, Rackete decidiu atracar o navio.
A capitã ainda enfrenta acusações, na Itália, relacionadas com o tráfico de seres humanos.
Na época, o então vice-primeiro ministro e ministro do Interior italiano, Matteo Salvini, prometeu punir pessoas como Rackete.
"Se esta ONG e este navio forem definitivamente colocados em posição de não ajudarem mais os traficantes de seres humanos, o objetivo será alcançado," declarou Salvini.
Em Bruxelas, as manifestações em defesa dos migrantes continuam. Uma mudança no Governo italiano e um esforço renovado para partilhar por toda a União Europeia os migrantes que chegam estão a dar esperança a quem os socorre.
Carola Rackete insiste que um passo vital é acabar com a criminalização daqueles que salvam vidas.

Deixe seu Comentário