Campo Grande - Mato Grosso do Sul, 22 de Agosto de 2019

Deputados Estaduais de MS

Bope capacita servidores da Segurança da ALMS para ocorrências com explosivos

Assembleia Legislativa do Mato Grosso do Sul
Foto: Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul - Wagner Guimarães Bope capacita servidores da Segurança da ALMS

O curso durou dois dias e foi ministrado no Plenarinho Nelito Câmara a 62 servidores da ALMS

A Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (ALMS) realizou nesta segunda-feira (15) a continuidade do 1º Curso Básico de Procedimentos em Ocorrências Envolvendo Explosivos, aos servidores que atuam na segurança interna e externa da Casa de Leis. O evento começou na sexta-feira (12) e foi ministrado por policiais militares do Batalhão de Operações Especiais (Bope) a 62 servidores entre policiais militares, agentes de segurança e polícia legislativa.

Segundo o tenente coronel Renato Garnes, esse é o primeiro de vários outros cursos planejados pela Assessoria Militar, da qual está à frente. “Estamos preparando o pessoal para dar a primeira resposta em decorrência de situações que possam envolver explosivos e assim resguardar a segurança de todos”, explicou o coronel.

Para o gerente do setor de Segurança e Polícia Legislativa, 1º sargento Amauri de Oliveira, a intenção é investir na prevenção. “Somos a Casa do Povo, em que não podemos barrar ninguém, mas podemos melhorar a segurança com planejamento e precaução. Eles precisam estar preparados, não só para o combate em si, mas para garantir a integridade física de todos e inclusive deles mesmos”, destacou.

Os seguranças foram ensinados a observar todo objeto e atitude suspeita. “Apresentamos os critérios para reconhecer algo que seja suspeito, o que fazer, como fazer e quem acionar em cada caso. Esse é um curso de extrema necessidade em um local como a Assembleia Legislativa que reúne um fluxo grande de pessoas, além de diversas autoridades. Com bomba só se erra uma vez”, ponderou o policial do Bope sargento Allan Borges ao ministrar o curso.

Os critérios não podem ser divulgados, mas o servidor José Carlos Rocha, que atua há cinco anos como agente de segurança, garante que todos aprenderam e se sentem mais capazes para reconhecer quaisquer intercorrências. “Fizemos varreduras, identificamos situações e fomos ensinados que mesmo que o objeto de fato não seja uma bomba ao final da ocorrência, aprendemos a considerar a possibilidade e agir com segurança e inteligência”, resumiu. O curso continua até o fim da tarde de hoje no Plenarinho Nelito Câmara.

Por: Fernanda Kintschner 

Deixe seu Comentário