Campo Grande - Mato Grosso do Sul, 19 de Agosto de 2019

Educação

Aula inaugural de capacitação da Reme destaca importância da iniciação científica na escola

Prefeitura Municipal de Campo Grande/MS
Foto: Prefeitura Municipal de Campo Grande/MS Aula inaugural de capacitação da Reme

Com a intenção de estimular os professores da Rede Municipal de Ensino (Reme) para participar da 1ª Feira das Ciências, Inovação e Tecnologia da Rede Municipal de Campo Grande, que acontecerá em novembro, a Secretaria Municipal de Educação promoveu na noite desta quinta-feira (06), uma aula inaugural do curso de capacitação que será direcionado aos professores que irão desenvolver em suas unidades escolares, projetos de iniciação científica.

A aula inaugural contou com a participação de alunos da Reme e da rede privada e de professores, que relataram suas experiências na participação de eventos científicos, além das diversas premiações recebidas.

Entre os palestrantes que falaram sobre seus trabalhos, estiveram os professores Wagner Cleber de Almeida e Kátia Cilene Alves Borges, que coordenam o laboratório da escola “Lenita de Sena Nachiff”. A dupla apresentou os trabalhos de iniciação científica desenvolvidos na unidade desde 2015 e destacaram o avanço na aprendizagem dos alunos durante este período.

Os professores, junto aos alunos, chegaram a ter um projeto premiado na Febrace (Feira Brasileira de Ciências e Engenharia), ano passado. O evento é um dos mais importantes do país e as crianças competiram, inclusive, com universitários.

“As premiações são estimulo. É muito importante ter um trabalho da rede pública reconhecido em uma feira nacional, mas o que realmente vale a pena é ver a melhora no desempenho de nossos alunos. Eles aprendem aprendem a se comunicar melhor, evoluem, por isso temos que acreditar no nosso trabalho”, frisou o professor.

Já a professora Kátia Cilene, destacou o envolvimento da comunidade escolar. “Os pais pedem que a escola desenvolva esses trabalhos. Eles veem os resultados positivos”, disse.

Também relataram suas conquistas por meio de produções científicas, os alunos Matheus Monteiro Portilho, Luan Lima Giordano e Luiz Eduardo Fernandes Morais, todos premiados em feiras científicas graças ao apoio de professores e ao trabalho desenvolvido nas escolas que estudam.

Formação

A formação possui carga horária de 40 horas, sendo 16 horas realizadas em encontros presenciais e 24 horas em ambiente virtual de aprendizagem – Google Sala de Aula. Os professores cursistas desenvolverão pesquisas na instituição escolar com grupo de alunos.

As pesquisas serão submetidas pelos professores orientadores para seleção e aprovação dos trabalhos para exposição na FECIT que acontecerá na segunda quinzena de novembro.

A comissão organizadora, em conjunto com instituições parceiras, disponibilizará avaliadores para julgar os trabalhos finalistas do evento. Serão premiados os melhores trabalhos por área de conhecimento e categoria.

Com a ação os técnicos da Semed esperam impulsionar o desenvolvimento de pesquisa científica na educação básica, no âmbito das escolas da Reme, estimulando a cultura científica em suas múltiplas dimensões para a inovação, produção e uso de novas tecnologias.

Despertar

O gerente responsável pela Divisão de Tecnologia da Semed, Guilherme Ferrari, explica a importância deste tipo de ação para os professores e alunos da Rede Municipal.

“O curso promoverá uma formação sobre as questões científicas, tecnológicas e socioambientais presentes no desenvolvimento de projetos relevantes à comunidade, e imprescindíveis para a participação em feiras e eventos científicos”, ressaltou

Um dos propósitos também do projeto é oferecer formação continuada aos professores da Reme interessados em atuar como orientadores e co-orientadores de projetos de Iniciação Científica.

Roberto Luís Dambros, palestrante e integrante do grupo de trabalho organizador da FECIT, grupo que conta com 15 integrantes de diversas divisões da Semed, ressaltou sobre o que esta ação pode influenciar na comunidade escolar.

“Vai possibilitar os professores aperfeiçoarem conhecimentos e ter práticas pedagógicas inovadoras e criativas, desenvolvendo projetos de iniciação cientifica que venham a solucionar problemas locais, regionais, nacionais e mesmo mundiais”, pontuou.

Deixe seu Comentário