Campo Grande - Mato Grosso do Sul, 17 de Junho de 2019

Deputados Estaduais de MS

Através de requerimento, Coronel David chama a atenção para convênio voltado ao Combate às Drogas

Assembleia Legislativa do Mato Grosso do Sul
Foto: Assessoria de Comunicação Combate às Drogas

Após requerimento apresentado pelo deputado estadual Coronel David (PSL), mês passado, na Assembleia Legislativa, alertando para a necessidade de melhorar o convênio para combate às drogas, que foi renovado na gestão do governo André Puccinelli com a finalidade de verificar se a contrapartida que é objeto do convênio é razoável e justa para nosso Estado.

Em consequência disso, o governandor Reinaldo Azambuja (PSDB) e o Secretário Estadual de Justiça e Segurança Pública (SEJUSP), Antônio Carlos Videira, se movimentam no mesmo sentido e anunciaram que a Polícia Civil pode abandonar as investigações contra o tráfico de drogas no estado, caso o Ministro Sérgio Moro não renove o convênio com Mato Grosso do Sul em melhores condições. Atualmente, o convênio prevê que o Estado faça todas as apreensões de combate ao tráfico de drogas local, o que tem custo elevado. Em três anos, foram apreendidas quase 1.500 toneladas de drogas, mais de 33 mil laudo periciais foram feitos e cerca de 11 mil procedimentos realizados pela Polícia Civil, fora os custos dos presos, que anualmente chegam a cifra de 133 milhões de reais.

Nosso estado tem 1.517 quilômetros de fronteira com o Paraguai e a Bolívia, países com alto índice de produção de drogas. Entre 2015 e maio deste ano, a polícia sul-mato-grossense apreendeu cerca de 1,5 milhão de toneladas de intorpecentes, em sua grande maioria, maconha e cocaína, que teria como destino os grandes centros nacionais e internacionais.

Consequência destas ações, é o sobrecarregamento do sitema penitenciário estadual, algo em torno de 7.300 presos, o que corresponde a 40% da população carcerária de Mato Grosso do Sul.

Melhorias no DOF

No final de abril, Coronel David se encontrou com o Presidente Jair Bolsonaro (PSL) e apresentou um plano para “sufocar” o crime organizado nas regiões de fronteira do estado. O documento solicita a reestruturação do Departamento de Operações de Fronteira (DOF), e investimento que chaga a quase 32 milhões de reais, com intuito de aumentar o efetivo, compra de viaturas e armamentos, entre eles, 90 fuzis.

“Tive a oportunidade de levar Bolsonaro, em 2018, ao DOF para que conhecesse a estrutura e verificasse o quanto é dificultoso para os agentes de segurança pública manterem a segurança nas fronteiras sem a participação das forças federais. Sabemos que a defesa das fronteiras é responsabilidade da União, portanto, discutimos a participação do Exército, investimentos em tecnologia e melhor estrutura para ‘sufocar’ o crime organizado nas divisas de MS. Bolsonaro recebeu o plano, viu o que era necessário para investimento e nós o convidamos para voltar ao Estado e fazer outra visita ao DOF. O investimento demanda estudo, tem que ver fonte orçamentária, mas ele ficou de avaliar e, quando decidir, virá aqui para anunciar esse investimento”, concluiu o parlamentar.

Deixe seu Comentário