Após vaias no intervalo, Prass analisa torcida do Palmeiras: “Ela é bem ansiosa”

Sharing is caring!

Fernando Prass vibra com defesa de pênalti em jogo contra o Junior Barranquilla (Foto: Marcos Ribolli)

 

Ao lado de Borja, autor dos três gols na vitória do Palmeiras por 3 a 1 sobre o Junior Barranquilla, o goleiro Fernando Prass foi o melhor em campo. Com três defesas importantes no primeiro tempo e um pênalti defendido na etapa final, o reserva do Verdão teve ótima atuação e ajudou a acalmar os ânimos da torcida, que vaiou o time no intervalo.

– Estou aqui há quase seis anos e acho que conheço bem a torcida do Palmeiras, ela é bem ansiosa. Em 2013 havia a ansiedade para subir, mesmo tendo uma grande vantagem. Em 2014 a ansiedade absurda para não cair. Em 2015 o Marcelo Oliveira poupou o time no Brasileiro e foi criticado. Em 2016, a sensação de que poderia perder o título mesmo estando sempre na frente – falou Prass.

– Mas é uma torcida que carrega no colo, como já fez na Copa do Brasil, como fez no ano do centenário, com toda a dificuldade técnica. Naquele ano, o resultado não foi pior por causa da torcida, que lotava o estádio e não vaiava. É uma troca, precisa de um pouquinho de compreensão deles, mas eu tenho certeza e já foi provado aqui dentro que nosso maior trunfo é o estádio. Gostamos de vencer, de ter o apoio deles – acrescentou o goleiro.

Reserva do Palmeiras nesta temporada, Fernando Prass desabafou por conta de alguns comentários que já ouviu sobre sua idade e capacidade técnica.

– A gente que está fora e espera uma oportunidade… Às vezes as pessoas fazem um julgamento sem um acompanhamento. Quem não acompanha, não vê meus números e fala: “O Prass tá velho, tem 40 anos”. Então esse jogo é fundamental para mostrar esse trabalho que é feito no dia a dia. E claro que para mim, que não estou jogando muito, um jogo desse aumenta sua confiança – falou.

Prass também foi questionado sobre aposentadoria:

– Eu tenho quase seis anos de clube. Vivi muitas coisas aqui, do oito ao oitenta, do céu ao inferno. E a identificação que eu tenho com esse clube, não é porque eu tenho quatro meses no banco que vou pensar em sair ou me aposentar. O Federer depois que virou essa lenda falou que a idade é só um número. E é. Eu não cheguei nessa idade porque a minha genética é diferente. Eu sempre me cuidei muito. Então eu nunca pensei em sair por esse motivo – declarou Prass.

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *