Campo Grande - Mato Grosso do Sul, 18 de Agosto de 2019

Notícias da justiça e do direito

Acusados de homicídio em centro de candomblé vão a julgamento - confira os júris da semana

Assessoria de Comunicação
Foto: Tribunal de Justiça do Mato Grosso do Sul Fórum Heitor Medeiros da Comarca de Campo Grande - MS

Estão pautadas para esta semana quatro sessões de julgamento de processos da 1ª e 2ª Vara do Tribunal do Júri de Campo Grande. Entre eles, na quinta-feira (25), está marcado o julgamento de quatro acusados do homicídio qualificado pelo emprego de meio cruel, em relação à vítima Hélio Teixeira da Costa.

Em janeiro foi realizado o julgamento da mãe de santo A.M.C., que foi absolvida das acusações. Como os demais acusados recorreram, o processo foi desmembrado com relação a eles e, após o TJMS manter a pronúncia, o júri foi agendado para esta quinta-feira.

De acordo com o processo, no dia 29 de janeiro de 2017, por volta das 7h30, na Avenida Wilson Paes de Barros, em Campo Grande, os denunciados mataram Hélio Teixeira da Costa, um ajudante de tornearia de 29 anos. Um dia antes do crime, a vítima teria se dirigido à casa da mãe de santo, local onde funcionava um centro de candomblé e estava sendo realizada a “Festa de Exú”.

Conforme o relatório, na madrugada seguinte, Hélio Teixeira teria retornado à residência da ré, momento em que foi agredido violentamente com socos e chutes pelos cinco acusados. Quando a vítima mal conseguia se mexer, o cunhado da mãe de santo, J.G. de L., e o auxiliar de cozinha de Três Lagoas que também participava da festa, A.R. da S., arrastaram-no até o veículo de propriedade da acusada para matá-lo fora do terreiro. O esposo dela, G.J. de L., dirigiu o veículo, enquanto os outros acusados continuaram a agredir Hélio. O jovem de 18 anos, L.R. de A., que também concorreu para o assassinato, teria, inclusive, dado golpes de faca na cabeça da vítima ainda viva.

Chegando no local dos fatos, Hélio Teixeira teria sido posto para fora do veículo e teve seu pescoço cortado pelo rapaz de 18 anos. A vítima foi deixada no local e os denunciados evadiram-se.

Segundo o Ministério Público, o crime teria sido praticado por meio cruel, pois os acusados, agindo em maior número, agrediram a vítima com chutes, socos e golpes de faca, causando-lhe inúmeros ferimentos enquanto vivo, apenas com o intuito de prolongar e intensificar sua dor. Por fim, cortaram-lhe o pescoço, terminando de matá-lo.

Todos os acusados foram pronunciados pelo juiz titular da 1ª Vara do Tribunal do Júri, Carlos Alberto Garcete de Almeida, no crime de homicídio qualificado pelo meio cruel (artigo 121, § 2º, inciso III do Código Penal).

Júris da semana:

1ª Vara do Tribunal do Júri:

23 de abril – processo nº 0019905-08.2005.8.12.0001

25 de abril – processo nº 0013862-35.2017.8.12.0001

2ª Vara do Tribunal do Júri:

24 de abril – processo nº 0007794-35.2018.8.12.0001

26 de abril – processo nº 0004971-88.2018.8.12.0001

Deixe seu Comentário