Campo Grande - Mato Grosso do Sul, 15 de Outubro de 2019

Meio ambiente e sustentabilidade

A promoção internacional da sustentabilidade

Assessoria de Comunicação
Foto: Divulgação Meio ambiente

A situação atual do meio ambiente tem gerado muitas questões e muita preocupação, um pouco por todo o mundo. O século XXI tem sido marcado por um aumento da consciência efetiva sobre a necessidade de agir para proteger a natureza, que se deve, em parte, às narrativas visuais e textuais apresentadas pelos meios de comunicação.

Confrontados com os resultados da ação humana, governos e indivíduos têm vindo a aperceber-se de que os problemas ecológicos estão a ultrapassar o limite razoável, gerando novas atitudes, novas filosofias de vida e novas formas de ação efetiva.

Momentos que marcam a história do último ano, como o degelo dos glaciares a resultarem em 40% de degelo na Gronelândia num só dia; ou o incêndio florestal que devastou a Amazônia; têm feito com quem um pouco por todo o mundo, o ser humano comece a lutar pela modificação das práticas rumo à sustentabilidade.

As medidas a que temos vindo a assistir acontecem de muitas formas e partem de muitas frentes: normas políticas, organizacionais e práticas individuais unem-se, hoje, de forma intensa mas ainda insuficiente, para tentar proteger o mundo natural.

A mobilização de recursos para esta finalidade tem-se feito acompanhar da criação de narrativas e campanhas de consciencialização, que salientam a necessidade de mudança.

Hoje, olharemos para os mercados e as estratégias que se sentem pelo mundo e no Brasil.

Ação na luta pela sustentabilidade

Hoje em dia, não são poucos os momentos em que nos deparamos com alterações de comportamento e narrativa relacionados com o meio ambiente.

Mercados diversos fazem, agora, por se integrar nos modelos mais orientados para a proteção do planeta, criando o futuro da moda sustentável, alternativas aos plásticos na decoração da casa ou nas criações artísticas e também novas formas de produção e consumo.

Ancorando-se nas noções do não despercício (ou do desperdício zero) a tendência internacional é para quese comece a reduzir, a reutilizar, a reciclar, a recusar e a compostar.

Esta tendência, que parte de grandes corporações e de indivíduos, é ainda sustentada pela forma como os produtos vegan e sem crueldade animal começam a deixar sob o foco estes rótulos e desenvolvem campanhas que colocma o homem numa posição de proteção da natureza, alertando para a necessidade de mudança.

A ação individual na luta pela ecologia

Evidentemente, ao deparar-se com todas as narrativas e com uma maior facilidade de acesso a meios e produtos que o permitem, o ser humano tem, gradualmente, feito por adaptar a sua ação às tendências da sustentabilidade para proteger o meio ambiente.

O número de pessoa com uma alimentação vegetariana ou vegan tem aumentado internacionalmente e no Brasil, bem como a busca por produtos biológicos e que tenham sido criados sem testes ou produtos de origem animal.

A prática da reciclagem torna-se também mais comum, sendo que, além dos tradicionais papéis, plásticos e vidros, começa a reciclar-se também pilhas ou óleos usados.

Estas são pequenas ações individuais que os brasileiros têm tentado integrar nos seus dias, lutando pela sustentabilidade.

Deixe seu Comentário