Campo Grande/MS, 14 de Novembro de 2018

Eleições 2018

5 dicas para entender as pesquisas eleitorais

HuffPost Brasil
Foto: © Getty Images 5 dicas para entender as pesquisas eleitorais
5 dicas para entender as pesquisas eleitorais

A agência de notícias Associated Press (AP) acrescentou à versão mais recente de seu manual de redação um capítulo com dicas para jornalistas sobre como ler pesquisas eleitorais.

Embora as dicas sejam direcionadas aos repórteres, elas podem ser valiosas para qualquer cidadão que queira fazer uma análise mais ampla das pesquisas.

Confira:

1. Saiba como a pesquisa foi realizada

Os institutos respeitáveis divulgarão a metodologia usada para conduzir a pesquisa, incluindo as perguntas feitas e os resultados para cada uma. Isso permite, por exemplo, que a pesquisa seja analisada por terceiros, de forma independente.

Para que o valor da pesquisa seja real, os entrevistados devem ser representativos da população analisada. Ou seja, se a pesquisa pretende refletir a opinião dos brasileiros, os entrevistados precisam representar o País como um todo.

2. Lembre-se: Pesquisas não são perfeitas

Ao reproduzir os resultados de uma pesquisa, tenha cuidado para não exagerar na precisão dos dados. Muitos institutos trabalham com a chamada "margem de erro", e até mesmo pesquisas conduzidas por empresas respeitadas e que usam métodos reconhecidos não estão imunes a erros.

A dica, portanto, é: evite tirar grandes conclusões de pequenas diferenças (nos resultados). Se o índice de aprovação do presidente passar de 39% para 38%, o correto é dizer que o índice se manteve "estável", e não que "caiu".

Além disso, é sempre bom lembrar que entrevistar uma quantidade grande de pessoas não garante que a pesquisa seja confiável.

3. Veja quem está por trás da pesquisa

Pesquisas encomendadas por candidatos ou grupos de interesse podem ser planejadas para produzir resultados que sejam benéficos àquele candidato ou grupo, e o levantamento pode ser divulgado como estratégia de campanha ou publicidade.

Esse tipo de pesquisa pode conter dados interessantes, mas o resultado deve ser observado como ressalvas. Por exemplo: uma pesquisa que revela que eleitores estão mais ou menos propensos a votar em determinado candidato com base em uma questão específica são com frequência usadas por grupos interessados para impulsionar uma agenda.

4. Preste atenção ao momento

A opinião pública pode mudar rapidamente, especialmente em respostas a eventos, e é importante saber quando as entrevistas foram feitas. Pesquisas eleitorais conduzidas imediatamente após um debate entre candidatos, por exemplo, podem tem seu resultado distorcido por uma "onda" temporária.

Nos Estados Unidos, por exemplo, o apoio a um controle de armas mais rígido costuma aumentar temporariamente após um tiroteio em massa.

5. Tenha cuidado com comparações

Pesquisas que mostram que a opinião pública mudou ao longo do tempo são interessantes, mas é preciso cuidado ao fazer comparações. Comparar resultados obtidos por diferentes institutos de pesquisa, por exemplo, exige atenção, pois pode significar apenas que os métodos usados foram diferentes, e não que a opinião pública de fato mudou.

Vale ressaltar, contudo, que o fato de uma pesquisa produzir resultados diferentes de outras não quer dizer que ela esteja errada. De toda forma, é importante reconhecer quando os resultados de uma pesquisa são atípicos para poder analisar as causas desse movimento.

Deixe seu Comentário