Campo Grande/MS, 19 de Setembro de 2018

Tempo

2018 começa com chuva em boa parte do Brasil

Redação TerereNews
Foto: tempo-fechado-nublado-julio-de-castilho-campo-grande-ms-tererenews (12) tempo-fechado-nublado-julio-de-castilho-campo-grande-ms-tererenews (12)
tempo-fechado-nublado-julio-de-castilho-campo-grande-ms-tererenews (12)

As primeiras 24 horas de 2018 foram de tempo instável em praticamente todas as cinco regiões do Brasil. Em alguns municípios, os acumulados superaram os 50 milímetros e a precipitação veio acompanhada de muitos raios e rajadas de vento.

Devido à interação entre a Alta da Bolívia (AB) e o Vórtice Ciclônico em Altos Níveis (VCAN), sistemas sinóticos que juntos geram muita difluência do vento em níveis altos, cerca de 12 mil metros de altitude e divergência de massa em níveis mais baixos, além da própria termodinâmica, ou seja, do calor local, as células de chuva pipocaram entre os períodos da tarde e noite Brasil afora.

No centro-sul, dada à configuração do Jato de Baixos Níveis (JBN), fluxo de ar quente que parte do interior da Amazônia, e ao deslocamento de um vórtice cavado (área de baixa pressão em níveis médios, mas sem fechamento da baixa), à leste da Região Sul, os temporais mais agressivos ocorreram entre os estados do Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.

Estações meteorológicas operadas pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) registraram entre a 0 hora (Brasília-verão) de segunda-feira (01) e a 0 hora desta terça-feira (02), precipitação acumulada superior a 50 milímetros de 75 mm em São Miguel do Oeste, SC, 61 mm em Campina da Lagoa, PR, 55,4 mm em Chapada Gaúcha, MG, 54,2 mm em Foz do Iguaçu, PR e 52 mm em Ituiutaba, MG.

Já a maior rajada máxima de vento chegou a 93,2 km/h no município de Linhares, no norte do Espírito Santo.

Sensores de detecção de raios do Grupo de Eletricidade Atmosférica (Elat) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) mostraram às 18 horas (Brasília-verão), grande incidência de raios distribuída sobre o Brasil e com vários alinhamentos de trovoadas avançando do Paraguai para o oeste da Região Sul e interior de São Paulo, a partir de Mato Grosso do Sul.

De Olho no Tempo.

Deixe seu Comentário