Tire suas dúvidas sobre febre amarela, infecção, sintomas e vacinação

Sharing is caring!

O Ministério da Saúde anunciou nesta terça (9) uma campanha emergencial de vacinação para conter o avanço da febre amarela em São Paulo, na Bahia e no Rio de Janeiro, em áreas que até então não tinham recomendação para imunização contra a doença. Nos três Estados, a meta será alcançar 19,7 milhões de pessoas a partir de fevereiro.

A seguir, entenda o que causa a doença, quais são os seus sintomas e o que fazer para evitá-la. Ao final, há também perguntas e respostas sobre a vacina.

PREVENÇÃO

Vacinação
– Dose integral (0,5 ml): vale para a vida toda
– Dose fracionada (0,1 ml): vale por pelo menos 8 anos; será dada nas campanhas de vacinação de SP, RJ e BA
– Crianças: devem tomar a partir dos 9 meses (ou 6 meses em áreas de risco)

Para evitar picadas
– Usar repelente (evitar os que também têm protetor solar)
– Aplicar o protetor antes do repelente
– Não usar repelentes em crianças com menos de 2 meses
– Evitar perfume em áreas de mata
– Vestir roupas compridas e claras (ou com permetrina)
– Usar mosqueteiros e telas

Controle do mosquito
– Evitar água parada e tomar os mesmos cuidados da dengue, porque há risco de a doença ser contraída pelo Aedes aegypti (o que não acontece no Brasil desde 1942)

Distância de áreas de risco
– Evitar áreas de mata com registros da doença; caso vá viajar a esses locais, tome a vacina ao menos dez dias antes


TRATAMENTO

– É apenas sintomático, com antitérmicos e analgésicos (anti-inflamatórios e salicilatos como AAS não devem ser usados)
– Hospitalização quando necessário, com reposição de líquidos e perdas sanguíneas
– Uso de tela, por exemplo, para evitar o contato do doente com mosquitos


PERGUNTAS E RESPOSTAS

Quem deve se vacinar?
Pessoas que moram ou vão viajar para regiões silvestres, rurais ou de mata dentro das áreas de risco, no Brasil ou no exterior –a imunização deve ser feita dez dias antes da viagem. A lista de cidades com recomendação pode ser consultada em saude.gov.br/febreamarela. As crianças podem tomar a dose padrão a partir dos nove meses de idade (seis meses para as que vivem em locais com risco) e a dose fracionada a partir dos dois anos

As crianças podem receber a vacina da febre amarela junto com outras vacinas?
Sim, exceto com a tríplice viral (contra sarampo, rubéola e caxumba) ou a tetra viral (contra sarampo, rubéola, caxumba e varicela). Se a criança não recebeu nenhuma das três e for atualizar a vacinação, ela deve tomar a de febre amarela e agendar a tríplice ou a tetra para 30 dias depois

Já tive febre amarela, preciso me vacinar?
A infecção provoca imunidade bastante duradoura

A vacina é 100% eficiente? É segura?
A eficácia chega a 90% e ela é bastante segura. Pode causar reações adversas, como qualquer medicamento, mas casos graves são raros. Dores no corpo, de cabeça e febre podem afetar entre 2% e 5% dos vacinados

Onde ela está disponível?
Na rede pública, pode ser encontrada gratuitamente em unidades básicas de saúde. Na particular, custa cerca de R$ 250

Quantas doses é preciso tomar?
Uma dose padrão. Até abril de 2017, o Ministério da Saúde recomendava duas (com intervalo de 10 anos), mas depois reconheceu que uma é suficiente para a vida toda, padrão adotado pela OMS (Organização Mundial de Saúde) desde 2014. No caso da dose fracionada, usada em campanhas emergenciais, a imunização é de ao menos oito anos, mas testes ainda são feitos

Como será feita a imunização no Estado de SP em 2018?
A estratégia será aplicar a dose única nas áreas de risco e a fracionada (que permite uma oferta maior) nas demais regiões. A campanha de vacinação ocorrerá de forma gradual, a partir de fevereiro, com prioridade para os locais com maior concentração de mata. A ideia é atingir 6,7 milhões de pessoas no próximo mês, mas cobrir todo o Estado até o final do ano

E no Rio de Janeiro e na Bahia?
Os dois Estados também vão oferecer as doses fracionadas da vacina, exceto em casos específicos. As campanhas de vacinação em ambos vão ocorrer entre 19 de fevereiro e 9 de março. A previsão é atingir 10 milhões de pessoas em 15 municípios do Rio, e 3,4 milhões em 8 municípios da Bahia. O chamado dia D, quando há maior mobilização nos postos de saúde, está marcado para 24 de fevereiro –inclusive em SP, onde ele também deve ocorrer em 3 de fevereiro

Qual é a diferença entre a vacina integral e a fracionada?
A diferença está no volume aplicado. Enquanto a dose padrão tem 0,5 ml, a fracionada tem 0,1 ml (um frasco com cinco doses, portanto, pode vacinar até 25 pessoas). O tempo de proteção também muda: enquanto a primeira protege por toda a vida, a segunda dura ao menos oito anos

Como eu sei se estou recebendo a dose integral ou fracionada?
O tipo de vacina deverá ser informado pelo agente de saúde. No caso da dose fracionada, a carteira de vacinação terá ainda um selo apontando que ela não é a padrão

Quais grupos de exceção deverão receber a dose integral na campanha?
Crianças de 9 meses a 2 anos incompletos, pessoas que viajarão para países com exigência da vacina, portadores de doenças crônicas e grávidas que moram em áreas de risco (que devem avaliar com um médico os riscos e benefícios da vacina). A justificativa é a ausência de estudos que mostrem a eficácia nesses grupos

Quem não pode tomar nenhuma das doses?
Bebês com menos de 6 meses (e mulheres que amamentam crianças até essa idade), alérgicos a ovo e pessoas imunodeprimidas em razão de doença ou tratamento

Quem deve consultar o médico sobre a necessidade da vacina?
Assim como as gestantes, idosos, portadores de HIV positivo, pacientes com tratamento quimioterápico concluído, transplantados, hemofílicos ou pessoas com doenças do sangue e de doença falciforme

Tenho indicação para vacina, mas perdi meu cartão de vacinação e não sei se tomei a dose. O que fazer?
Procure o serviço de saúde que costuma frequentar e tente resgatar seu histórico. Caso não seja possível, a recomendação é fazer a vacinação normalmente

Tomei a dose fracionada e vou viajar para um país que exige certificado internacional de vacinação. O que fazer?
O certificado internacional não é concedido pela Anvisa a quem toma a dose fracionada. Nesses casos, o viajante terá que tomar a vacina padrão, lembrando que deve haver pelo menos 30 dias entre cada dose, por se tratar de uma vacina com vírus vivo

Quais países exigem o certificado?
Ao todo são 135 países, que podem ser consultados no site da Anvisa. Na América do Sul, fazem parte da lista Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana, Guiana Francesa, Paraguai e Suriname

Após a infecção pelo vírus, em quanto tempo a doença se manifesta?
Os sintomas iniciais aparecem de três a seis dias depois

Quais são os sintomas?
Inicialmente, febre, calafrios, dores no corpo, náuseas e vômitos. A maioria das pessoas melhora após os sintomas iniciais, mas cerca de 15% desenvolvem sintomas mais graves, como hemorragia, que podem levar à morte.

Folha de SP.

Fontes: Ministério da Saúde, Secretaria da Saúde de SP, OMS (Organização Mundial da Saúde) e Sociedade Brasileira de Infectologia

Tereré News

Editor - Tereré News

Sua opinião é muito importante para nós!

%d blogueiros gostam disto: