Casal de cristãos da Paróquia Coração Eucarístico de Jesus faz o Caminho de Santiago de Compostela-Tereré News

Casal de cristãos da Paróquia Coração Eucarístico de Jesus faz o Caminho de Santiago de Compostela

Fé e determinação levaram um casal de cristão da Paróquia Coração Eucarístico de Jesus em Campo Grande a uma peregrinação pelo Caminho de Santiago de Compostela um conjunto de rotas situadas na Europa.

O Portal de Notícias Tereré News irá acompanhar toda a trajetória do casal e postar aqui as mais recentes notícias da peregrinação ao Caminho de Santiago de Compostela.

Veja o post em uma rede social com as informações do casal Wagner e Neide Vivancos:

Amados amigos, como recebemos várias mensagens dos que estão nos “acompanhando” em nossa peregrinação, precisamos dizer que estamos bem agora , mas tivemos dias muito difíceis; iniciamos a travessia dos Pirineus (uma cordilheira desafiadora) com muita chuva, frio e tempestades. Quanto mais subíamos a temperatura caia mais, uma chuva constante, com muita neblina que acabou derrubando a temperatura para menos de 0 grau.

Ficamos encharcados totalmente, inclusive as roupas das mochilas molharam… conseguimos fazer o percurso previsto para 8 horas, em 10:30 h ate Roncesvalles. Porém, ao chegarmos não havia mais vagas no albergue e fomos para a próxima cidade em Espinal, onde conseguimos jantar e nos aquecer, pois chegamos perto de termos uma hipotermia….
Graças a Deus conseguimos superar esta etapa e esperamos que o tempo colabore daqui para a frente…
Cada vez mais sentimos o quanto necessitamos ser fortes…
Continuem torcendo e rezando por nós  estamos fazendo o mesmo por vocês 

Confira as fotos dos dia 09 e 12 de setembro.

 

Saiba mais cobra o Caminho de Santiago de Compostela

Com informações de colaboradores da Wikipédia

Os Caminhos de Santiago são os percursos percorridos pelos peregrinos que afluem a Santiago de Compostela desde o século IXpara venerar as relíquias do apóstolo Santiago Maior, cujo suposto sepulcro se encontra na catedral de Santiago de Compostela. A peregrinação foi uma das mais concorridas da Europa medieval, cuja importância só era superada pela Via Francigena (com destino a Roma) e Jerusalém, sendo concedida indulgência plena a quem a fizesse. Depois de vários séculos relativamente esquecida, desde os anos 1980 que a popularidade da peregrinação tem vindo a crescer substancialmente, embora grande parte das pessoas que fazem o Caminho — nome pelo qual é também conhecida a peregrinação — atualmente não o façam por motivos religiosos. O Caminho tornou-se um itinerário espiritual e cultural de primeira ordem, que é percorrido por dezenas ou centenas de milhares de pessoas todos os anos. Foi declarado Primeiro Itinerário Cultural Europeu em 1987 e Património da Humanidade (na Espanha em 1993 e na França em 1998).

Os caminhos espalham-se por toda a Europa e vão entroncar nos caminhos espanhóis. Com excepção das várias vias do Caminho Português e da Caminho da Prata, do qual uma variante atravessava o nordeste de Portugal, que têm origem a sul, e do Caminho Inglês que vinha do norte, a maior parte liga-se ao Caminho Francês, cuja rota mais popular entra em Espanha na zona de Pamplona(Roncesvalles), se encontra com as restantes em Puente la Reina e segue ao longo do norte de Espanha. O Caminho é geralmente feito a pé, mas também pode ser feito de bicicleta, a cavalo, ou até de burro.

O símbolo dos peregrinos (do latim per ægros, “aquele que atravessa os campos”) têm como símbolo uma vieira, a venera, cujas origens se atribuem aos povos ancestrais que antes do cristianismo peregrinavam a Finisterra, durante muitos séculos considerado o local mais ocidental do mundo conhecido e, como tal, o fim do mundo. O Caminho de Santiago é popularmente associado desde há séculos à Via Láctea, por supostamente indicar o caminho para Santiago de Compostela à noite. Via Láctea é um dos nomes dado ao Caminho e um dos nomes populares da galáxia em Espanha e Portugal é Caminho ou Estrada de Santiago.

Caminhos hoje em dia

De modo geral os caminhos hoje encontram-se sinalizados por setas de cor amarela, no chão, muros, pedras, postes, árvores, estradas, marcos de granito ou concreto, e outros. Como regra, passam sempre em frente à igreja mais importante ou mais antiga da cidade.

Entre as várias rotas, delineadas desde a Idade Média, destacam-se:

Caminho Francês – Que recebe entre outros a Via Podiensis e antes a Via Gebennensis, a partir de Saint-Jean-Pied-de-Port, entra na Espanhapor Roncesvalles, no sopé dos Pirenéus, e de lá segue por cerca de 800 quilómetros até Compostela.
A este liga-se o Caminho Aragonês (“Tramo Aragonés”) com saída em Somport, com cerca de 980 quilómetros.

Caminho da Prata (“Via de la Plata”) – com saída em Sevilha (Espanha), passando por Chaves e Ourense, é o mais longo e segue uma antiga estrada romana a que os árabes chamaram algo que foneticamente soava a ‘plata’ e assim ficou o nome
Caminho Primitivo – com saída em Oviedo.
Caminho do Norte – Parte de Irún passando por San Sebastian e segue por cerca de 1100 km. A partir de Tapia 203 km
Caminho Português, com várias alternativas a partir de Lisboa.Caminho Português (principal) (+-600 km a partir de Lisboa / 250Km a partir do Porto)
Trajeto a partir de Lisboa: Alhandra, Azambuja, Santarém, Golegã, Tomar, Alvaiazere, Rabaçal, Coimbra, Mealhada, Águeda, Albergaria-a-Velha, Oliveira de Azemeis, Grijó, Porto

Trajeto a partir do Porto: Vairão, Rates, Barcelos, Ponte de Lima, Rubiães, Valença, Tui, Redondela, Pontevedra, Caldas de Reis, Padrón, Santiago de Compostela.

Caminho Português pela Costa (+-250 km)
Trajeto a partir do Porto, Póvoa de Varzim (São Pedro de Rates), Esposende, Viana do Castelo, Caminha, La Guardia, Baiona, Vigo, Redondela e caminho comum ao Português

Existem também outros troços no Caminho Português, nomeadamente a sul do Tejo e que desembocam em Lisboa, mas sem sinalização: Faro-Loulé (20 km); Santiago do Cacém-Grândola-Alcácer do Sal (50 km); Palmela-Coina-Barreiro (23 km)[1].
Caminho Sanabrês – a partir de uma bifurcação do Caminho da Prata, desde Granja de Moreruela. Após Puebla de Sanabria e até A Gudiña, o caminho está mal sinalizado e contém troços em muito mau estado de conservação, pelo que se aconselha reserva quanto aos tempos de circulação nesta região. O Caminho Sanabrês é dos menos frequentados, mas nem por isso com menos interesse paisagístico e cultural.
A maior parte dos caminhos portugueses entroncam em Valença do Minho, onde se fazia (faz) a travessia da fronteira para Tui e daí estende-se por cerca de 110 quilómetros. Do lado português, os percursos mais frequentados são a partir de Lisboa, do Santuário de Fátima, de Coimbra, do Porto, de Barcelos ou de Braga. Nos últimos anos, tem ganhado relevo o percurso Lisboa-Coimbra-Porto-Rates-Barcelos-Ponte do Lima-Valença como principal caminho português.

Caminho da Ria de Arousa, de Padrón.
Caminho Inglês – parte de Ferrol ou da Corunha, estendendo-se por aproximadamente 120 quilómetros.
Surgiu a partir dos peregrinos das ilhas britânicas que, devido à Guerra dos Cem Anos, não podiam atravessar a França com segurança e assim viajavam de barco até à Galiza e daí a pé até Compostela

Caminho de Finisterra – um prolongamento, especialmente para os peregrinos que vinham de longe terem a ideia que tinham chegado ao ‘fim da terra’ (finis terrae).
Apenas os Caminhos Inglês, Francês, Português e “Sanabrés” chegam a Santiago de Compostela.

Os outros vão-se juntando a estes três durante o percurso. O Caminho de Finisterra une Santiago de Compostela e o Cabo Finisterra.

Caminho da Pequena Polônia

Tereré News

Editor – Tereré News

Sua opinião é muito importante para nós!

%d blogueiros gostam disto: